, Terça-Feira - 10 de Dezembro de 2019

 

MPAL pede condenação de acusado de intermediar execução de vereador em Anadia

Gustavo Candido - Estagiário com Ascom MPAL / 5:08 - 02/12/2019

Sânia Teresa, ex-prefeita de Anadia, continua com processo mantido sob recurso especial no Supremo Tribunal de Justiça.


Reprodução

Reprodução

Será julgado durante esta segunda-feira, 02, um dos envolvidos em um caso que teve grande repercussão no estado de Alagoas, o assassinato do vereador de Anadia, Luiz Ferreira de Souza, no ano de 2011. O julgamento ocorre no Fórum Desembargador Jairon Maia Fernandes, no Barro Duro, e o acusado, Adailton Ferreira, tenta se livrar das acusações da defesa de que teria envolvimento direto no crime por ter negociado os interesses dos autores intelectuais.

A condenação, se confirmada, será a quarta do caso. As primeiras penas definidas foram as de Alessander Ferreira Leal, a 32 anos e 7 meses; Tiago dos Santos Campos, a 30 anos e 10 meses, e Everton Santos de Almeida, a 32 anos e 3 meses de prisão.

Relembrando o caso

O vereador foi vítima de uma emboscada no dia 3 de setembro de 2011, momentos depois de deixar uma rádio comunitária, em Maribondo. Na rádio, ele falava sobre informações relacionadas a saúde da população, uma vez que também era cirurgião e professor.

Em uma rodovia próxima foi atingido com mais de 12 tiros na cabeça. Após investigações a polícia concluiu que Alessander, ex-marido da ex-prefeita de Anadia, Sânia Teresa, e a própria Sânia, eram os mentores do homicídio. Na época, Adailton Ferreira (julgado nesta segunda-feira) e Sânia Teresa recorreram e não foram julgados, enquanto Wallemberg Torres da Silva, outro acusado de efetuar os disparos, acabou foragido. Nove dias após a execução, a ex-prefeita, um primo e policial (que era seu segurança), identificado como Cláudio Magalhães da Silva, e o ex-marido foram presos.


Comentar usando