Movimentos sociais de AL discutem políticas públicas com Governo Federal

Evento reuniu movimentos negros, LGBT e sociedade civil no Palácio República dos Palmares

Movimentos sociais de AL discutem políticas públicas com Governo Federal

Evento reuniu movimentos negros, LGBT e sociedade civil no Palácio República dos Palmares

Por | Edição do dia 8 de março de 2017
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags: ,,,,,,


Encontro serviu para explicar aos gestores e representações dos ministérios as necessidades das religiões de matriz africana no Estado. (Fotos: Thiago Sampaio)

Encontro serviu para explicar aos gestores e representações dos ministérios as necessidades das religiões de matriz africana no Estado. (Fotos: Thiago Sampaio)

Sociedade civil, movimentos negros e LGBTs conversaram com representantes de quatro ministérios, gestores municipais e a Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, na terça-feira (7), no Palácio da República dos Palmares. O primeiro encontro de gestores durou dois dias e proporcionou tanto o diálogo dos ministérios com os gestores municipais, como da sociedade civil com o Governo Federal.

Promovido pelo Instituto Raízes de África, em parceria com o Governo do Estado, o encontro levou ao todo 11 ministérios, a Associação dos Municípios  Alagoanos – com mais de 30 cidades representadas – e representantes da população negra alagoana.

Segundo a presidente do Instituto, Arísia Barros, o segundo dia de evento aproximou o Governo Federal dos problemas e especificidades da população negra em Alagoas.

A representante da religião candomblecista Nagô, Antônia de Santos, explicou aos gestores e representações dos ministérios as necessidades das religiões de matriz africana no Estado.

“Explanamos aqui nossos problemas e nossas angústias. Ele nós ouviram e esperamos que tenham nos escutado. Nosso povo precisa aprender a gritar; já ficamos quietos e calados por muito tempo”, expressou a militante.

A Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) trabalha como articuladora para que políticas públicas para a população negra cheguem aos ministérios e, consequentemente, aos estados e municípios. “Antes, discutimos com os gestores, agora com a sociedade civil, para que formulemos politicas efetivas para Alagoas”, disse o secretário da Seppir, Juvenal Araújo.

O Ministério da Educação, representado no encontro pela coordenadora-geral de Educação para Relações Étnico-Raciais, Raquel Dias, afirmou que é possível um melhoramento das políticas públicas para o segmento.

“As ideias são concebidas no Governo Federal, mas a execução dessas ideias acontece dentro dos governos municipais e estaduais. Com isso, todo o processo ganha um elemento que nós não temos controle, que é a sua  realidade local. Só podemos perceber esse elemento em momentos como esse”, disse a coordenadora.

Ministérios e gestores municipais

A ideia do primeiro dia de evento foi reunir os ministérios e apresentar para os gestores municipais e estaduais as políticas públicas que o Governo Federal desenvolve para a população negra. O objetivo foi apresentar as ações já existentes e elucidar como se dá a participação do município ou estado nesse processo, como é feito o repasse de recursos e qual a dificuldade na sua execução.

“O que fizemos aqui foi plantar uma semente. Nós mostramos o que o Governo Federal hoje promove e o que é possível acontecer nos municípios, dependendo do interesse e da priorização para que esse tipo de programa esteja no Plano Estratégico de Desenvolvimento desses municípios”, explicou Raquel Dias.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados