Mostra com peças de artesãos alagoanos é aberta no Senado

No evento, superintendente do Sebrae Alagoas destaca papel da Economia Criativa na geração de renda

Mostra com peças de artesãos alagoanos é aberta no Senado

No evento, superintendente do Sebrae Alagoas destaca papel da Economia Criativa na geração de renda

Por Assessoria | Edição do dia 28 de outubro de 2021
Categoria: Notícias | Tags: ,,,,


A Mostra Cultural da Região Nordeste, realizada pelo Senado como parte do ciclo “A Internacionalização da Gastronomia, da Economia Criativa e do Turismo como Indutores do Desenvolvimento Regional”, foi aberta na última terça-feira (26) para visitação do público. A exposição traz peças de mestres artesãos alagoanos, enviadas à Brasília (DF) por meio do Sebrae Alagoas.

Na solenidade de abertura, o superintendente da instituição, Marcos Vieira, lembrou que a Economia Criativa que engloba o artesanato é uma das mais importantes fronteiras para a geração de renda, trabalho e riqueza, principalmente quando aliada ao potencial que as novas tecnologias digitais apresentam, tanto para criar, compartilhar e comercializar o artesanato brasileiro.

“Juntos, como as demais regiões que aqui se apresentaram e ainda virão, poderemos construir o maior marketplace de artesanato do mundo. Como já estamos fazendo com os alimentos diferenciados brasileiros, com suas indicações geográficas e selos de qualidade”, afirma.

“Tudo isso pode ser sim um grande ativo estratégico de nossa diplomacia, de nosso país, ao servir de plataforma para o encantamento, para a aproximação e diálogo com outras nações. Por isso, mais uma vez reconhecemos a importância histórica deste momento em que o Senado Federal destaca a criatividade de milhões de brasileiras e brasileiros”, completa.

Vieira também destacou o fato de a mostra trazer em si outras características da região Nordeste: recepcionar, acolher e abraçar com aromas e sabores típicos. “Desejo que, ao visitar esses espaços, os senhores possam experenciar o que há de mais rico no nosso povo e na nossa gente”, diz.

Ainda em seu discurso, o superintendente do Sebrae Alagoas lembrou que há mais de 20 anos a instituição fomenta o artesanato, apoiando artistas e empresas por meio de ações para profissionalizar a gestão dos negócios.

“Criando embalagens adequadas, alertando para a importância do uso de fontes sustentáveis de matérias primas, trazendo a inovação para o processo criativo e buscando no design a solução para produtos, alinhado às tendências e necessidades do mercado, sem perder de vista o olhar para a sustentabilidade”, observa.

Mestres

Por meio da Associação Brasileira dos Sebrae/Estaduais (ABASE), o Sebrae Alagoas articulou o envio de algumas peças de mestres como André da Marinheira (Boca da Mata), Abelardo (Ilha do Ferro), Arlindo (Maceió), Vânia (Maceió) e Jasson (Belo Monte), além de entidades que representam artesãos e bordadeiras, como Pontos e Contos (Penedo), Artecer (Paripueira), Belas Artes (Porto de Pedras), Instituto do Bordado Filé (região das Lagoas Mundau e Manguaba) e Estação Cangaço (Piranhas).

“Na exposição de artesanato estão expostos produtos representativos das regiões alagoanas. E na mostra gastronômica nós convidamos o chef Serginho Jucá, para cozinhar e servir comida típica alagoana, fazendo um prato utilizando o siri. Cocadas e bolinho de goma também estão na mostra”, revela a analista da Unidade de Competitividade e Desenvolvimento do Sebrae Alagoas, Marina Gatto.

Comissão de Relações Exteriores

O papel da gastronomia, do turismo e até mesmo da Economia Criativa no desenvolvimento das regiões brasileiras tem sido defendido em um ciclo de debates da Comissão de Relações Exteriores (CRE), um dos colegiados de senadores da Casa.

Esse ciclo de debates tem contado com audiências públicas, exposições de artesanato e degustações de comidas típicas de cada região do País, com uma programação voltada não só para os brasileiros, mas também para as representações estrangeiras.

O objetivo desse ciclo, que a cada mês promove uma das cinco regiões brasileiras, é lançar luz ao potencial que a exploração estruturada das aptidões da culinária e dos demais atrativos de cada estado podem contribuir para a economia, em especial das regiões menos desenvolvidas. Já ocorreram exposições com as regiões Norte e Sudeste do Brasil.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados