Mistério envolve morte de menino de nove anos em Teotônio Vilela

Mistério envolve morte de menino de nove anos em Teotônio Vilela

Por | Edição do dia 30 de maio de 2016
Categoria: Blog, Notícias, Regionais | Tags: ,,,,


O mistério em torno da morte do menino José Willamys dos Santos Júnior, de 9 anos, no município de Teotônio Vilela, continua. Na última semana a Polícia Civil começou a colher o depoimento de familiares e da direção da Escola Municipal de Ensino Fundamental Moacir Lopes de Andrade na tentativa de descobrir o que realmente aconteceu.

Segundo a família de José Willamys, ele morreu após sofrer uma série de agressões dentro da escola. Versão contestada pela direção, que nega qualquer violência no prédio. O fato é que a criança morreu na última segunda-feira, dia 23, após ser levado para atendimento durante três vezes no Hospital Municipal da cidade, reclamando de fortes dores abdominais e numa das pernas. O desafio da polícia agora é tentar descobrir o que realmente aconteceu.

Eliane Messias, mãe de José Willamys, disse que o garoto foi espancado na escola e houve negligência no hospotal

Eliane Messias, mãe de José Willamys, disse que o garoto foi espancado na escola e houve negligência no hospital

Nas linhas de investigação está sendo apurado o caso de violência entre garotos e também um possível abuso familiar. Durante esta semana, os depoimentos devem continuar, onde serão ouvidos alunos da escola, professores e vizinhos da criança. Outro fato que está sendo averiguado é se houve negligência médica, já que o menino teria buscado socorro no hospital por várias vezes. De acordo com a mãe do menor, Eliane Messias dos Santos, a agressão aconteceu na quinta-feira, dia 19.

No dia seguinte eles foram ao hospital, mas José Willamys recebeu alta após ser medicado. Eles retornaram outra vez no sábado, 21, e tiveram a liberação médica. Na segunda-feira, 23, o menino não resistiu e morreu no hospital.

O corpo do menino foi periciado ainda no início da semana e o laudo do Instituto Médico Legal de Arapiraca não conseguiu identificar a “causa mortis”. Um novo laudo está sendo produzido, na tentativa de descobrir indícios que ajudem a investigação. Na quarta-feira, o delegado Lindemberg Paranhos esteve no IML para pedir mais informações.

*Leia mais na versão impressa

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados