Microempresas alagoanas contrataram 50% mais financiamentos em 2020, diz Banco do Nordeste

Valor contratado foi de R$ 200 milhões

Microempresas alagoanas contrataram 50% mais financiamentos em 2020, diz Banco do Nordeste

Valor contratado foi de R$ 200 milhões

Por Assessoria | Edição do dia 14 de janeiro de 2021
Categoria: Economia | Tags: ,


As micro e pequenas empresas de Alagoas contrataram 50% a mais em financiamentos com o Banco do Nordeste, em 2020, se comparado com o ano anterior. O valor, que soma R$ 200 milhões em todo o Estado, representa cerca de 2 mil operações de crédito, destinadas tanto para investimento como para capital de giro. “Em um ano difícil, com os desafios impostos pela pandemia, o BNB obteve maior crescimento justamente com o público que mais sentiu os efeitos da crise, e as MPEs são exemplo de segmento que recebeu esse apoio do Banco e aumentou a demanda por recursos para manutenção dos negócios e adaptação à nova realidade”, avalia o superintendente estadual do BNB, em Alagoas, Sidinei Reis dos Santos.

Galpão Zureta, de Penedo, recebeu crédito do BNB destinado às MPEs

Quanto à distribuição geográfica desses recursos no Estado, houve uma interiorização do crédito, com maiores altas nos valores contratados com MPEs das regiões de Olho D’Água das Flores (141%), Santana do Ipanema (121%) e Palmeira dos Índios (84%). Já as empresas da capital ficaram com 30% do total dos créditos contratados com o segmento, crescendo 37% em relação aos financiamentos realizados em 2019.

A maior parte desse crédito (75%) foi voltada para MPEs do setor de comércio e serviços do Estado, seguida pelo industrial e rural. Do total destinado às micro e pequenas empresas, 35% foram recursos emergenciais, com taxas que batiam os 2,5% ao ano. Sidinei ressalta que “as condições do crédito ofertadas permitiram que muitos empresários não fechassem as portas, principalmente os do comércio e serviços; eles se reinventaram e transformaram os negócios com investimento em delivery, nos meios digitais e na customização dos produtos às novas necessidades do cliente”.

Adaptação

Adaptação foi a palavra de ordem do empresário Maik Vieira da Silva, proprietário do Galpão Zureta, uma MPE de Penedo, especializada na venda de artesanato da região e também uma galeria de arte e fábrica de confecções a laser. Como atua no setor de turismo, diretamente afetado pela pandemia, Maik se viu forçado a fechar o local. No entanto, ele conta que passou a utilizar as máquinas de corte para fabricação de máscaras de proteção facial e de dispenser para álcool em gel, além de manter o atendimento de forma on-line. A empresa, que recebe apoio do BNB desde sua fundação, recorreu ao Banco, ano passado, para o crédito destinado ao segmento.

“Tivemos um ano bem difícil, não esperado. Um período de muitas perdas e aprendizados. Conseguimos aprender, nos superar! Ainda nos blindamos com um crédito do BNB que nos segurou para passarmos pelo período difícil. Investimos em matéria prima, pois precisamos entrar em áreas que não atuávamos anteriormente, em capacitações e em uma pequena máquina de impressão”, relembra o empresário.

Atualmente, Maik está otimista frente à retomada da economia e perspectivas de controle da crise sanitária. “Hoje somos considerados o maior Espaço Multicultural do Baixo São Francisco. Estamos com uma Agência de Turismo dentro do Galpão (#partiupenedo), que já há dois anos vem fazendo a diferença no turismo de Penedo. Fizemos a aquisição de uma pequena lancha com capacidade para sete pessoas, nos proporcionando ofertar agora nosso próprio passeio náutico”, comemora.

Crescimento Regional

Em toda a área de atuação do BNB, que inclui o Nordeste e o norte de Minas Gerais e do Espírito Santo, as contratações com o segmento, em 2020, ultrapassaram a marca de R$ 4,6 bilhões, o que representa incremento de 26,7% nas aplicações em comparação ao ano anterior.

Para Romildo Rolim, presidente do BNB, “a marca histórica que o Banco do Nordeste alcançou com os resultados de MPE em 2020 é o reflexo do nosso compromisso com o desenvolvimento. Oferecemos crédito, incentivamos o giro e renegociamos operações. São números que refletem o incentivo à competitividade das empresas e o apoio à preservação de milhares de empregos na nossa região”.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados