Médica veterinária adverte: cães e gatos devem ser evitados como presente

Médica veterinária adverte: cães e gatos devem ser evitados como presente

Por Assessoria | Edição do dia 22 de dezembro de 2020
Categoria: Notícias


Com o aproximar das festividades de final de ano, logo vem as compras de presentes para amigos e parentes, porém animais devem ser evitados como opções. O alerta é dado pela médica veterinária Evellynne Marques, mestre em Ciência Animal e instrutora/tutora voluntária no Projeto de pesquisa “Pet Cidadão”, da Faculdade de Veterinária da ufal. ”A recepção de um cão ou um gato em uma família deve ser planejada, pois requer um custo financeiro mensal permanente na vida da família para a manutenção de necessidades dos animais e muitas pessoas podem não estar preparadas para encaixa-los no seu orçamento”, diz ela.

Segundo a médica veterinária, uma pesquisa nacional evidenciou que a forma mais comum da origem de “pets” cães e gatos nas famílias brasileiras foi “presenteado” e a segunda maior forma de origem dos pets é “encontrado abandonado”, na sequência vem a origem “feira de adoção”. “Estas formas podem ter relação entre si, pois dado as dificuldades financeiras das pessoas em custear a manutenção dos animais ou até mesmo por decidirem não incluir em seus orçamentos, ocorre muito abandono animal. Razão de termos no país ONGS e grupos de proteção animal”.

A pesquisa nacional, também mostrou que o custo mensal para manter um cão doméstico é em média R$224,00 e para manter um gato é de R$168,00, com alimento, banhos e acessórios; não está incluso aí a assistência veterinária que também será uma necessidade na vida destes animais. Quanto mais animais, o custo será aumentado.

Evellynne segue esclarecendo e informando como procede a vida da família com um pet: no caso de cães, a depender da raça, há custos com serviços estéticos/sanitários para a pelagem com banhos que requerem serviço especializado e no caso de gatos há necessidade de comprar areia química higiênica para organizar em casa seus locais para defecar e urinar. “Sendo imprescindível pois não se pode usar areia de construção ou de praia, por exemplo, devido aos riscos sanitários”.

Para prevenção de doenças haverá necessidade anual de vacinação e semestralmente de controle parasitário com medicações contra vermes. O alimento adequado para estes animais é ração comercial e os preços são variados. O custo ficará aumentado a depender do porte do animal.

E a médica relembra mais detalhes em relação aos cuidados com a saúde animal: quando adoecem, os custos podem variar muito. Em média uma consulta com um médico veterinário custa por volta de R$100,00. Uma pesquisa acadêmica realizada com tutores de cães e gatos em Maceió-AL apresentada em evento científico da Ufal em 2019, revelou que “38% dos entrevistados levaram seus animais (cães e gatos) ao médico veterinário somente diante de doenças visíveis”. Esse comportamento também foi observado na pesquisa nacional Radar Pet (2020), “com 57% dos donos de cães e 50% dos donos de gatos”.

De modo geral, alerta ela, as pessoas perdem de estabelecer as medidas preventivas e é comum se assustarem com custos necessários dos serviços veterinários diante das doenças. “É importante compreender a manutenção animal pelas famílias brasileiras, uma vez que neste país é livre a criação de cães e gatos para todas as classes sociais. O vínculo de responsabilidade do brasileiro com cães e gatos ainda é fragmentado”, destaca a futura doutora.

O Conselho Regional de Medicina Veterinária de Alagoas sempre alerta em suas redes sobre presentear com animais.

Siga o projeto Pet Cidadão no instagram e aprenda a cuidar de seu cão e de seu gato.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados