Maternidade do Hospital da Mulher já realizou mais de 5 mil partos em 17 meses de funcionamento

A unidade está funcionando provisoriamente na Maternidade Nossa Senhora de Fátima e segue todos os cuidados materno fetais preconizados pelo Ministério da Saúde

Maternidade do Hospital da Mulher já realizou mais de 5 mil partos em 17 meses de funcionamento

A unidade está funcionando provisoriamente na Maternidade Nossa Senhora de Fátima e segue todos os cuidados materno fetais preconizados pelo Ministério da Saúde

Por Assessoria | Edição do dia 30 de outubro de 2021
Categoria: Alagoas, Saúde | Tags: ,,,


Desde março de 2020 funcionando na Maternidade Nossa Senhora de Fátima, que foi arrendada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), a estrutura materno-infantil do Hospital da Mulher (que, naquele momento, passou a ser a unidade hospitalar de referência para pacientes infectados com a Covid-19), já realizou 5.585 partos entre normais e cesarianos. Vale ressaltar que nesse período a maternidade registrou três partos difíceis e apenas um óbito materno.

Unidade já realizou 5.585 partos entre normais e cesarianos. Foto: Carla Cleto.

A médica ginecologista Avha Paixão, coordenadora do perfil de maternidade do Hospital da Mulher, que hoje está funcionando na Maternidade Nossa Senhora de Fátima, afirma que em casos de hemorragia, os óbitos maternos podem ocorrer em aproximadamente 8% das vezes. Já com relação a infecções, elas podem ocorrer em partos cesarianos de 1% a 5% dos casos.

“Infelizmente, os óbitos maternos podem ocorrer. Então, reforçamos que, diante do atendimento que prestamos à população, com mais de 5.500 partos realizados nos últimos 17 meses, nós tivemos um sucesso muito grande na nossa assistência humanizada, com todos os cuidados materno-fetais necessários e preconizados pelo Ministério da Saúde”, afirma Avha Paixão.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), morte materna é o óbito de uma mulher durante a gestação ou dentro de um período de 42 dias após o término da gestação, devida a qualquer causa relacionada com a gravidez ou agravada por ela ou por medidas em relação a ela, porém não devida às causas acidentais ou incidentais.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) explica que os indicadores de mortalidade materna são considerados indicadores da saúde da mulher e da população em geral e utiliza uma taxa para conhecer o nível de morte materna.

No Brasil, ocorreram 20.229 óbitos maternos entre os anos 2006 e 2017, apresentando razão de mortalidade materna de 62,3 óbitos a cada 100 mil nascidos vivos, nesse período (ou seja, nível 3 de acordo com a tabela usada para interpretar esse coeficiente). E a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável é de reduzir o índice para 30 óbitos a cada 100 mil nascidos vivos até 2030.

A estrutura materno-infantil do Hospital da Mulher conta com atendimento multidisciplinar, formada por fisioterapeutas, enfermeiros, obstetras e doulas, que são as acompanhantes de parto e oferecem assistência para a mulher no pré-natal, durante o parto e após o nascimento do bebê. O Hospital da Mulher foi o primeiro no Brasil a oferecer doulas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados