Mais de 500 animais silvestres são apreendidos

O objetivo da FPI é combater os crimes ambientais que são praticados nas localidades do Rio São Francisco

Por | Edição do dia 16 de novembro de 2015
Categoria: Artigos, Blog | Tags: ,,,


20151116044742 (2)

A FPI esteve em Maribondo e Anadia e recolheu 148 aves (Foto: MPE/AL)

Iniciadas no domingo e início desta segunda-feira (16), as ações da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) do São Francisco, realizadas em três cidades do interior, já recuperaram mais de 490 aves, seis iguanas e quatro jabutis.

Esse programa, que é coordenado pelo Ministério Público Estadual de Alagoas e mais 23 instituições participantes, seguirá durante os próximos 15 dias e quer combater os mais diversos tipos de crimes ambientais praticados em municípios da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco.

Na feira livre de Arapiraca, onde a FPI chegou por volta das 6h da manhã com PM’s à paisana foram, recolheram dezenas de espécies de pássaros, a exemplo de Galo-de-Campina, Caboclinho, Papa-capim, Canário-da-terra, Xéxeu, Veludo e Garibaldi. A Polícia Militar foi a campo para identificar os principais pontos de comércio ilegal de aves. Após esse trabalho, os demais integrantes chegaram para fazer a apreensão.

Segundo o promotor de Justiça Alberto Fonseca, coordenador da FPI, não houve resistência durante a ação e um homem foi preso pelo crime de manter em cativeiro animais silvestres e estava com uma quantidade enorme de pássaros: “Esse cidadão deverá ser enquadrado no artigo 29 da Lei Federal nº 9.605/98, que é a norma que trata dos crimes ambientais”, informou o promotor.

Para o médico veterinário Isaac Albuquerque, diversas vezes, essas pessoas que prendem estes animais não sabem o mal que estão causando para o meio ambiente: “no caso dos pássaros, eles têm funções importantes na natureza, como a perpetuação da espécie, o controle de pragas e a disseminação de sementes”, explicou o médico.

20151116044741

Prisão de animais silvestres afeta diretamente o meio ambiente (Foto: MPE/AL)

Apreensões do domingo

Nesse domingo (15) a FPI também esteve nas cidades de Maribondo e Anadia, onde recolheu 148 aves, quatro jabutis e uma iguana.

Foram encontrados animais machucados e com sinais de maus tratos. O coordenador da ação Isaac acrescentou: “a grande maioria deles, estava amontoada em ‘viajantes’, espécie de pequenas caixas de madeira com capacidade para um animal, onde normalmente se guardam três ou quatro. Outra parte estava em gaiolas e viveiros, que também guardavam mais pássaros do que a capacidade permite”.

Essas ações foram realizadas pela equipe da fauna, um dos nove grupos que compõem a FPI do São Francisco. “É importante que a população entenda que esse trabalho é desenvolvido em prol da manutenção do equilíbrio ambiental do Rio São Francisco. E esse equilíbrio envolve flora, fauna, recursos hídricos e minerais e resíduos sólidos. Tudo isso sendo trabalhado de maneira ambientalmente correta, o meio ambiente não estará mais pedindo socorro e as pessoas terão melhor qualidade de vida”, detalhou Alberto Fonseca.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados