Maceió tem redução de casos de Aids e mantém alerta para prevenção

Maceió tem redução de casos de Aids e mantém alerta para prevenção

Por | Edição do dia 5 de junho de 2016
Categoria: Notícias, Saúde | Tags: ,


Imagem: assessoria

Imagem: assessoria

Do ano de 2007 até maio de 2016, o Programa de DST/Aids da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) contabilizou 1.802 casos de Aids na capital alagoana, levantados por meio do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde. Desse total, 1.161 são do sexo masculino e 641, do sexo feminino. De acordo com os dados, em 2007, foram 113 homens infectados e 63 mulheres. Já em 2015 esses números diminuíram, sendo 73 homens e 34 mulheres. Este ano, até agora, o registro é de 12 pessoas do sexo masculino e 5 do feminino. O  programa alerta para a necessidade de prevenção para manter a curva decrescente.

Nesse período foram registrados 515 óbitos por Aids em Maceió. O maior número de infectados está na faixa etária de 20 a 34 anos, com 83 em 2007 e 43 pessoas em 2015.  A faixa etária de 35 a 49 anos também é considerável, segundo dados do Sinan.  Em 2007 foram 70, e em 2015 50 pessoas.

O levantamento mostra que em 2007 houve registro de 27 casos de Aids em homossexuais, 13 em bissexuais, 111 em heterossexuais. Em 2015 foram 06 homossexuais, nenhum em bissexuais e 37 em heterossexuais. O registro total dos últimos nove anos e mais os cinco meses de 2016 aponta 241 homossexuais, 101 bissexuais e 1.16 heterossexuais.

Neste domingo, dia 5 de junho, o registro de epidemia de Aids no mundo completa 35 anos. No dia 5 de junho de 1981, o Centro de Controle de Doenças de Atlanta, nos Estados Unidos, descobriu em cinco jovens homossexuais uma estranha pneumonia que até então só afetava pessoas com o sistema imunológico muito debilitado. Um mês depois, foi diagnosticado um câncer de pele em 26 homossexuais americanos e se começou a falar de “câncer gay”. No ano seguinte, a doença foi batizada com o nome de Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Sida), em inglês Aids.

A epidemia da Aids continua a ser um dos grandes desafios para a saúde global. Aproximadamente 33 milhões de pessoas vivem com HIV em todo mundo. O Brasil vem registrando uma média de 39 mil casos novos da doença ao ano. Cerca de 340 mil pessoas estão em tratamento com medicamentos antirretrovirais ofertados pelo SUS e até o ano de 2012 foram registrados 190.201 óbitos entre homens em conseqüência da Aids no Brasil, e 75.371 entre mulheres.

Infecção por HIV

O levantamento do Sinan também aponta os casos de infecção pelo vírus HIV sem necessariamente desenvolver a Aids. Em 2007 não houve registro de nenhum homossexual, em 20014 foram contaminados pelo vírus 32 homossexuais e 24 em 2015. Entre os bissexuais, há registro de um caso em 2007 e 13 casos em 2014 e 2015 também. Em 2007 03 pessoas heterossexuais contraíram o HIV. Ainda nessa condição sexual foram 66 em 2014 e 64 em 2015.

Nos nove últimos anos e mais cinco meses de 2016, 326 pessoas do sexo masculino contraíram o vírus HIV e 216 do sexo feminino, perfazendo um total de 542 casos.

Nesse mesmo espaço de tempo, 75 pessoas com Ensino Médio Completo contraíram HIV. 33 tinham Educação Superior Incompleta e 38, Educação Superior Completa.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados