Maceió Rosa: campanha realizou mais de 1.200 atendimentos a mulheres na capital

Serviços de saúde e encaminhamentos de mamografias foram disponibilizados em diferentes pontos da cidade

Maceió Rosa: campanha realizou mais de 1.200 atendimentos a mulheres na capital

Serviços de saúde e encaminhamentos de mamografias foram disponibilizados em diferentes pontos da cidade

Por Assessoria | Edição do dia 5 de novembro de 2020
Categoria: Notícias, Saúde | Tags: ,,,,


Com ações de orientação e serviços descentralizados, a Campanha Maceió Rosa 2020 conscientizou e facilitou o acesso à saúde pública. Durante o mês de outubro, as maceioenses conheceram mais sobre o câncer de mama, suas formas de prevenção e a importância do diagnóstico precoce. Mais de 1.200 atendimentos foram realizados em seis bairros da capital.

Foto: Reprodução

Desde 2014, o município promove, nos equipamentos da saúde pública e assistência social, o autocuidado e o rastreamento para detecção da doença. Este ano, o Dia D do Maceió Rosa encaminhou mais de 300 mulheres para fazer a mamografia. As ações foram realizadas na Levada, Pitanguinha, Benedito Bentes, Feitosa, Guaxuma e Centro.

Segundo a assessora de Políticas Sociais do Município e coordenadora do Maceió Rosa 2020, Marina Toledo, realizar a campanha em meio a uma pandemia não foi tarefa fácil.  “Quando começamos a programar tudo tivemos que pensar em como levar informações e serviços sobre o câncer de mama sem ir de encontro a todas as medidas sanitárias de combate à Covid-19. Foi muito complicado, mas precisávamos falar com elas. Tendo em vista que a medida profilática de combate ao novo vírus foi o distanciamento, o isolamento já esperávamos uma redução no número de mamografias, relacionados a outros anos. Por isso estudamos bastante para encontrar uma forma de levar essas guias, encaminhamentos e a conscientização para que elas procurem realizar a mamografia”, explicou.

Foto: Reprodução

As equipes da Secretaria Municipal de Saúde levaram serviços de testes rápidos de HIV, Sífilis, Hepatite B e C, aferição de pressão e teste de glicemia, além de fornecer encaminhamentos para fazer mamografia para terminais rodoviários, Centros de Referência e Especializados de Assistência Social (Cras e Creas), academias do município e o Calçadão do Comércio, onde ocorreu o Dia D da campanha. Aconteceram também bate-papos online sobre o assunto.

Levar os serviços e atendimentos para próximo da população e em espaços abertos foi uma alternativa encontrada. “Os dados da doença são realmente assustadores e estimular essas mulheres a fazer exames preventivos é fundamental. Conseguimos distribuir várias ações ao longo do mês. As maceioenses tiveram acesso a equipamentos e espaços públicos que ofereciam esses encaminhamentos, além das unidades de saúde. Tivemos ações nas academias, no Centro, no Cras, nos Creas. Dessa forma conseguimos pulverizar essa distribuição de guia sem aglomerações, respeitando as recomendações da pandemia”, concluiu Marina.

Autocuidado

Quem já enfrentou a doença sabe o quanto é importante conhecer e tocar o próprio corpo. Este trabalho de conscientização é reforçado pelas instituições Casa Rosa e Grupo Mama Renascer, parceiras do Município na campanha.

Mhyrta Melo, coordenadora da Casa Rosa, descobriu o câncer na mama aos 31 anos e faz questão de ressaltar como o autoexame foi fundamental para o tratamento e a cura. “Em uma das vezes que fiz o autoexame senti um nódulo pequeno que quando eu apertava ele fugia, saia. Já tinha ido ao médico, e durante a ultrassonografia, insisti para médica encontrar esse nódulo, pois como era pequeno toda vez que ela passava o aparelho ele saia do lugar. Em cerca de dois meses esse nódulo triplicou de tamanho, de 1.8 foi para 7. Dia 9 de agosto, quatro dias depois do meu aniversário de 31 anos, eu recebi o diagnóstico. Foram 16 sessões de quimio, fiquei careca, passei por todo processo, fiz a mastectomia. Claro que ficamos com medo, a gente chora, se apavora e a família é um elo muito forte nesse processo.”, contou.

Foto: Reprodução

Estar próximo de amigos e pessoas que têm experiências semelhantes contribuem no tratamento. “Tem aqueles amigos que ficam, mas também os que vão embora. Costumo dizer que o processo de doença é muito seletivo, e de onde você menos espera chega ajuda e tem quem vá embora. Sempre tive uma meta e era superar essa doença, ver meus filhos crescerem e trilhar esse caminho não foi fácil, mas resisti e estou aqui conquistei meu objetivo que era a cura.”, contou emocionada.

Drica Bastos foi diagnosticada com câncer de mama após perder a mãe e ver sua tia enfrentar a mesma doença. O apoio familiar e dos amigos que criaram uma página nas rede sociais para incentivar seu tratamento fez toda diferença.

“Uma vez por ano ia a minha ginecologista realizar os exames necessários para prevenção. Ao sentir um desconforto na mama, com as mãos percebi um caroço bastante ondulado, do tamanho de um bola de gude. Na mesma hora liguei para médica informando. Fiz a biopsia e veio o resultado: tacinoma de alto grau. Já estava chorando a essa altura. É um diagnóstico pesado, perdi a minha mãe para essa doença, tinha meu filho para criar ele tinha 13 anos na época eu pensava em como ele ficaria ao saber o resultado. E para minha surpresa ele foi o primeiro a incentivar meu tratamento e logo após minhas amigas criaram o ‘Ajude a Drica’, onde mostrava minha rotina. Não sei como seria passar por tudo sem esse apoio”, pontuou Drica.

Foto: Reprodução

Drica também destaca a importância de buscar exames e informações que auxiliem o rastreamento do câncer. “Durante meu tratamento procurei uma especialista. Fui à geneticista onde foi realizado um mapeamento da minha vida e da família. Fiz um exame de sangue, super rápido, porém caríssimo, nem todo plano cobre e tem muita burocracia para ser liberado, no resultado recebi a informação de que teria uma grande probabilidade de ter câncer na outra mama, no útero e no ovário. Não tive dúvida, além da mastectomia fiz também a histerectomia retirada do útero e do ovário como forma de prevenção. Então temos que ter esses cuidados, estar sempre se tocando, sempre tendo essa visão de que o câncer ele pode desenvolver em qualquer pessoa então cuido do seu corpo examine suas mamas”, alertou.

Balanço atendimentos Maceió Rosa

Dia 06 (Abertura da Campanha) – 81 atendimentos;

Dia 08 (Associação dos Cabos e Soldados, Guaxuma) – 56 atendimentos;

Dia 15 (Instituto Junte-se a Nós, Levada)- 142 atendimentos;

Dia 22 (Terminal Rodoviário, Feitosa) – 58 atendimentos;

Dia 23 (Dia D) – 300 guias de encaminhamento para mamografia;

Dia 27 (Cras, Pitanguinha)- 392 atendimentos;

Dia 29 (Terminal Integrado de Ônibus, Benedito Bentes ) – 522 atendimentos;

Total de atendimentos 1.251.

Maceió Rosa 2020

Em 2020, o Maceió Rosa trouxe o coração rosa posicionado no centro de uma representação visual com a mensagem “O cuidado é transformador”, circundada por três frases incentivadoras – “Cuide de seu corpo”, “Faça sempre seus exames” e “O autoexame faz a diferença”. Juntas, em formato circular, as mensagens, com o coração ao centro, remetem ao formato da mama, ressaltando que o autocuidado é o que impulsiona a atenção à saúde da mulher e durante o mês de outubro, especialmente, o cuidado com as mamas é o foco principal dessa atenção.

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados