Lagoa da Canoa: artesão vive da arte ecologicamente correta

Maurício Pereira transforma materiais descartáveis achados na rua em obras de destaque nas redes sociais

Lagoa da Canoa: artesão vive da arte ecologicamente correta

Maurício Pereira transforma materiais descartáveis achados na rua em obras de destaque nas redes sociais

Por João Lemos | Edição do dia 27 de abril de 2020
Categoria: Cultura | Tags: ,,,,,,,,,,


Guerreiros produzidos com pegadores de roupa. Fotos: João Lemos

O que seria descartado, jogado no lixo também pode servir como matéria-prima para obras de arte. Nossa reportagem foi até o município de Lagoa da Canoa a 113 km de Maceió para conhecer um artesão que vem se destacando nacionalmente com seus feitos miraculosos, realmente são milagres artísticos, todo o lixo que ele encontra nas ruas é transformado em arte popular e arte da boa.

Mauricio Pereira da Costa é um pernambucano, formado em Administração de Empresas, que escolheu o singelo município ao leste de Arapiraca como moradia e é de lá que vem surgindo peças que encantam muitos admiradores que o procuram através das redes sociais para aquisição de produtos.

“Comecei a trabalhar com recicláveis aos 10 anos de idade, fazia carrinhos de lata de óleo, pandeiros com lata de doce e canecas com latinhas de cerveja, com o dinheiro que eu conseguia ajudava nas despesas de casa. Depois comecei a trabalhar numa empresa, me formei e fui deixando a arte um pouco de lado”, recordou Maurício.

Apesar de ter se distanciado da produção artesanal por algum tempo a arte nunca se distanciou do artesão e a prova disso foi a retomada dos trabalhos em 2015 sempre focando no reaproveitamento de materiais descartáveis.

Maurício Pereira da Costa, artesão com destaque nas redes sociais. Foto: Acervo pessoal.

“Quando me vi desempregado em 2015 fiquei sem saber o que fazer, daí me veio na mente o velho ditado que diz “Quando Deus fecha uma porta, Ele abre uma Janela” fiz dessa janela meu porto seguro, não visto com bons olhos no início pela família que dizia que era coisa de malandro, onde já se viu uma pessoa com faculdade virar artesão! Pois bem é o artesanato sustentável hoje que paga minhas contas e faço das minhas artes meu mural de realizações”, comentou.

Materiais como metais, pneus de carros, plásticos dos mais variados tipos, papelão, garrafas pets, telhas de cerâmica, pegadores de roupas, pedras e outros descartáveis são objetos mais comuns encontrados para a confecção.

“A importância da reciclagem está ligada ao desenvolvimento sustentável consciente, que engloba não só o meio ambiente, mas também aspectos sociais e econômicos. Venho há 15 anos em Lagoa da Canoa desenvolvendo esse trabalho de ressignificação de produtos que iriam para o lixo, transformo tudo em arte. Algo sempre me inspira e eu vou produzindo”, disse Maurício. “Levo para a rede pública de ensino essa arte e com os alunos desenvolvo todo um trabalho voltado para o reaproveitamento sustentável”, completou.

Além dos trabalhos desenvolvidos com alunos da rede pública, as redes sociais tem sido papel fundamental para a divulgação do artesanato sustentável, pessoas de todas as partes do país tem recorrido ao seu perfil no Instagram e no Facebook em busca de adquirir obras como também de conhecer as técnicas usadas pelo artesão.

Pintura feita em pedras de entulho. Foto. Acervo do artesão.

“A uma boa aceitação do público e isso incentiva bastante a nossa produção, pessoas de todos os lados tem procurado para conhecer meu trabalho. Vejo no lixo uma alternativa econômica de grande potencial, essa matéria prima que é jogada nós transformamos em arte, focando no cotidiano e coisas do dia a dia da gente e na cultura popular tão bela de Alagoas. Esse nosso trabalho é um difusor para o controle de despoluição de rios e mares”, finalizou.

Para quem quiser conhecer melhor a arte popular sustentável de Maurício Pereira da Costa basta acessar as redes sociais e se encantará com o precioso trabalho de conscientização, cuidado com o meio ambiente e valorização da cultura popular do nosso povo.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados