Júri de acusado de matar nutricionista será retomado nesta segunda (26)

Serão ouvidas cinco testemunhas, todas indicadas pelo Ministério Público Estadual; julgamento foi interrompido após advogado renunciar ao caso

Por | Edição do dia 26 de outubro de 2015
Categoria: Artigos, Notícias | Tags: ,,,


185e476aafe7939e3bfdf41ba1ce45fc

Leonardo Lourenço da Silva é acusado de homicídio qualificado. (Foto: Anderson Moreira)

O julgamento por Júri Popular do acusado de matar a nutricionista Renata de Almeida Sá está confirmado para esta segunda-feira (26), a partir de 13h, no Fórum do Barro Duro. Leonardo Lourenço da Silva é acusado de homicídio qualificado, por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

O juiz John Silas da Silva, titular da 8ª Vara Criminal da Capital, preside o julgamento. A sessão foi iniciada última terça-feira (20), mas foi interrompida porque o advogado contratado renunciou ao processo. Uma nova advogada se habilitou para atuar no processo, na sexta-feira (23).

Serão ouvidas cinco testemunhas, todas de acusação, indicadas pelo Ministério Público Estadual. “Se não houver mais nenhum contratempo, esperamos encerrar o julgamento no mesmo dia. Esse caso chamou muito a atenção da sociedade e é essa mesma sociedade que agora vai dizer se o réu é culpado ou inocente”, afirmou o magistrado John Silas.

O caso

O crime ocorreu em julho de 2014, no bairro Santa Amélia, em Maceió. De acordo com a denúncia do Ministério Público (MP/AL), Renata Sá estava entrando em seu carro, quando foi abordada pelo acusado, que segurava uma arma. Ele assumiu a direção do veículo e ordenou que ela ficasse no banco traseiro.

Ainda segundo o órgão ministerial, Leonardo tinha a intenção de levar a vítima a um motel, onde a estupraria. Ele, no entanto, desistiu do plano e dirigiu até um matagal, onde efetuou dois disparos contra a nutricionista.

Depois do crime, o réu abandonou o carro da vítima próximo a uma oficina mecânica e fugiu. Leonardo acabou sendo filmado por câmeras de segurança que funcionavam no local e foi detido, dias depois, pela polícia. Na casa dele, foram encontradas a arma do crime e uma bolsa pertencente à nutricionista.

Em depoimento, Leonardo confessou o crime. Disse que matou por medo de ser reconhecido. Ele será julgado por homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima). A sessão ocorrerá no Fórum do Barro Duro, no 2º Tribunal do Júri.

Matéria referente ao processo nº 0718108-17.2014.8.02.0001

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados