Jovens treinadores assumem os velhos clubes de Alagoas

Times apostam na tendência nacional e contratam técnicos com currículos de “uma página só” para a Série B

Jovens treinadores assumem os velhos clubes de Alagoas

Times apostam na tendência nacional e contratam técnicos com currículos de “uma página só” para a Série B

Por Thiago Luiz - Estagiário | Edição do dia 31 de maio de 2021
Categoria: Esportes


A Série B do Campeonato Brasileiro está iniciando mais uma temporada. Desta vez, o calendário volta ao período do ano “tradicional”, após os estaduais e sem “atrasos” por conta da pandemia da Covid-19, como foi em 2020. CRB e CSA mais uma vez estarão representando Alagoas na competição nacional. O time marujo coleciona as melhores campanhas nas últimas participações, mas analisando o Campeonato Alagoano no quesito desempenho, fica claro que as duas equipes precisam melhorar e muito se quiserem brigar por algo grande no Brasileirão.

E ao que parece, voltar à Série A é mesmo o objetivo do lado azulino. De acordo com o técnico Bruno Pivetti, o elenco atual do clube possibilita traçar essa meta. O treinador elogiou o trabalho feito pelo ex-técnico Mozart Santos e pelo auxiliar Adriano Rodrigues e ainda destacou a força do plantel: “Nós temos um elenco extremamente qualificado, não à toa fomos campeões alagoanos”, afirmou Pivetti.

Apesar das considerações do treinador, a torcida azulina tem manifestado, por meio das redes sociais, o desejo por reforços que sejam peças de reposição para o restante da longa temporada, mas a diretoria tem agido lentamente e só deve anunciar novos atletas ao longo da Segundona. O comandante técnico explicou: “Precisamos estar sempre atentos ao mercado porque o futebol é muito dinâmico e nós não controlamos as movimentações, mas somos conscientes que o CSA está muito bem servido em todas as posições”.

Por outro lado, o CRB fez muitas mudanças após perder a final do Alagoano, entre elas, a comissão técnica. Roberto Fernandes encerrou sua segunda passagem pelo clube. Deu lugar a Allan Aal, que teve passagens recentes por Guarani e esteve à frente do Cuiabá, na reta final da campanha que culminou no acesso. O novo técnico trou também o auxiliar Anderson Valina, o coordenador Científico Tiago Cetolin e também Fabiano Rosenau, preparador físico.

No elenco, mandou embora o volante Jimenez, os atacantes Lucão e Luidy, formado nas categorias de base do clube, que ainda tem 15% dos direitos econômicos sob posse do Galo. Anunciou a chegada do volante Marthã e do atacante Victão. Por último, trouxe de volta um velho conhecido da torcida regatiana: Alisson Farias. O atacante atuou pelo clube em 2019 sendo uma das peças mais importantes na Série B daquela temporada. Ao fim do ano, trocou o clube pelo Vitória-BA, mas não conseguiu se firmar na equipe.

Na coletiva de apresentação, ele se mostrou contente por estar de volta: “Estou muito feliz com a oportunidade de retornar, espero ser feliz aqui como fui em 2019, ou melhor, muito mais”, disse o atleta em sua chegada.

Mas, apesar da empolgação, é preciso se avaliar o cenário que será enfrentado pelo Galo. O atacante Hyuri, remanescente da última temporada, analisou os desafios da série B de 2021: “Esse ano nós teremos quatro campeões brasileiros e isso já dificulta bastante a competição, porque são quatro postulantes ao acesso”. E sobre a chegada do novo treinador, o atleta afirmou que a equipe precisa conhecer e se adaptar à sua filosofia de jogo o mais rápido, para não perder pontos na Segundona.

De cara nova, ou não, o certo é que CSA e CRB precisam apresentar um futebol completamente diferente do estadual para conseguir brigar na Série B.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados