, Quinta-Feira - 19 de Setembro de 2019

 

Jorge Vieira faz exposição que exalta a beleza negra

Jéssyca Soares - estagiária / 4:09 - 07/11/2016


Foto: Jorge Vieira

Foto: Jorge Vieira

No mês em que é comemorado o dia da consciência negra, o fotógrafo Jorge Vieira traz ao público a exposição “IjeEwa, Raça Beleza, em Yorubá”. Uma homenagem à negritude que há em nós, na construção de uma consciência plural, numa dimensão de raça humana. A abertura aconteceu na quinta-feira passada, dia 03, às 19h, no Café da Linda, que fica no Teatro Deodoro, e permanece aberta a visitações até o dia 24 de novembro.

A exposição é composta por 20 fotografias em preto e branco que retratam a “beleza da cor negra na pele humana”. Segundo Vieira, a ideia é reverenciar a contribuição dos povos africanos que vieram para o Brasil.

Buscar as nossas raízes, ancestralidade e identidade é vital para o povo negro, e fundamental para essa luta. Em um país, onde as mulheres afrodescendentes vivem em um contextosocial em que a discriminação ainda é latente, contar com um espaço para propor o resgate, a construção e o desenvolvimento da autoestima é sem dúvidas substancial.

“Ainda que escravizados, jamais deixaram que se apagassem seus valores ante o jugo colonizador. Sinaliza, ainda, a importância da cultura negra na formação de nossa gente”, explica o fotógrafo. Para os registros ele convidou as modelos Luh Silva e Dayane Gomes.

Foto: Jorge Vieira

Foto: Jorge Vieira

A exposição, além de trazer uma mensagem sobre a beleza e a força da mulher negra, nos permite refletir a respeito de como cada mulher, em seu espaço pode criar formas de empoderar umas às outras.

“Belo trabalho. O direcionamento do olhar de Jorge Vieira através da composição e posicionamento da luz, ressalta a força e a altivez da mulher negra”, declara o fotógrafo Alberto Lima.

A ligação do fotógrafo Jorge Vieira com a negritude vem de muito tempo, criado em União dos Palmares, ele cresceu ouvindo histórias sobre a cultura da serra da Barriga. Quando criança, o fotógrafo invejava a cor negra dos amigos, e até chegava a chorar por não ser igual.

“Quando comecei a fotografar o tema me veio como algo natural e logo fiz um trabalho sobre a Serra da Barriga e seu entorno, que foi à exposição em novembro de 2015, com o título “Palmares e Viveres” e agora “IjeEwa”. Uma homenagem à negritude que há em nós”, lembra Jorge.

Jorge Vieira começou sua produção criativa em meados dos anos 80, transitando por diversas manifestações artísticas, como pintura, cerâmica e até arquitetura com bambus. Hoje, se dedica a fotografia documental, de rua e de pessoas.Dentre os seus trabalhos, estão: “Lagoa – o que faço com tudo isto? ” “Palmares e Viveres – a serra da barriga e seu entorno, 305 anos após o fim do quilombo dos palmares” e “Rio afogado”.

Serviço

Exposição: ‘ljeEwa’, Raça Beleza

Data: de 3 a 24 de novembro, das 10h às 18h (entrada franca)

Local: Café da Linda no Teatro Deodoro – Rua Barão de Maceió, S/N – Centro de Maceió.


Comentar usando