Joanna Maranhão presta queixa após ataques na internet

Joanna Maranhão presta queixa após ataques na internet

Por | Edição do dia 12 de agosto de 2016
Categoria: Brasil, Notícias | Tags: ,,


A nadadora Joanna Maranhão compareceu nesta sexta-feira à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, na região do Jacarezinho, zona norte do Rio de Janeiro, para prestar queixa contra os ataques que sofreu na internet durante a sua participação nos Jogos Olímpicos.

“Optei por fazer esse boletim de ocorrência. Todo debate é válido, mas quando temos agressão ou violência, precisamos acionar a Justiça. Sou uma pessoa pública e tenho que saber dos julgamentos, mas não admito agressões”, disse Joanna. O caso ficará com a delegada Daniela Terra, titular da DRCI.

Joanna Maranhão na delegacia onde prestou queixa (imagem: Pedro Ivo Almeida/UOL)

Joanna Maranhão na delegacia onde prestou queixa (imagem: Pedro Ivo Almeida/UOL)

Após ser eliminada de sua terceira e última prova no Rio de Janeiro, há três dias, Joanna desabafou e disse ter sido vítima de ataques na internet. Segundo ela, as mensagens faziam referência ao abuso sexual que sofreu na infância.

“Não torçam para eu ser estuprada. É pesado. É muito duro. Eu aguento porque não tive outra opção na vida” desabafou a nadadora, que disputou as eliminatórias dos 200 m borboleta e e dos 200 m e 400 m medley no Rio de Janeiro.

O advogado da Joanna, Fabiano Rosa, explicou a queixa. “Internet é um espaço público. As pessoas precisam entender que não podem caluniar e injuriar ninguém. Precisamos acabar com essa cultura de impunidade na internet. Vamos pedir ajudas à Polícia. São mais de 250 comentários ofensivos, muitos gravíssimos com incitação a crimes, estupros. Além de crimes contra a honra. Depois, iremos à Justiça cobrar a reparação imediata disso”.

Delegada explica próximos passos

Tweet em que a nadadora avisou que levaria a denúncia adiante (Reprodução)

Tweet no qual a nadadora avisou que levaria a denúncia adiante (Reprodução)

Após pouco mais de 1h30 na Delegacia, Joanna Maranhão deixou o local acompanhado de advogado e amigos. “Acredito em punição, mas sem rancor. Quero que as pessoas possam se posicionar e viver suas vidas sem ataques na internet. Ao menos 30 posts foram muito agressivos. Eles me explicaram que esse será o foco da investigação”, disse a nadadora.

Na sequência, a delegada Daniela Terra, que comanda o caso, explicou os próximos passos da investigação e tipificou os delitos cometidos. “Ela registrou a ocorrência e o inquérito foi instaurado. Já identificamos ao menos dez perfis, que serão enquadrados nos crimes de injúria, difamação e ameaça. Todos serão convocados a depor, mas ainda não há qualquer pedido de prisão”, esclareceu.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados