Bom Dia!, Domingo - 25 de Agosto de 2019

 

JHC é o número 1 no ranking dos gastadores do Congresso

Ariel Cipola / 10:22 - 26/05/2019

Somente este ano, deputado gastou mais de R$ 370 mil com diárias e cota


Por Ariel Cipola – Repórter o Dia Alagoas

JHC

JHC teve apartamento à beira-mar desvalorizado mais de 120% em 2 anos

O deputado federal mais votado do Brasil proporcionalmente nas últimas eleições, João Henrique Caldas, politicamente conhecido por JHC, foi também o “número 1” no ranking dos deputados federais de Alagoas que mais gastaram em 2019. Assim, JHC vai de encontro ao seu discurso: abrir mão de privilégios e de que iria compor a nova política”.

De acordo com dados obtidos pelo Jornal O Dia, no Portal da Transparência da Câmara Federal, o parlamentar alagoano já gastou neste ano R$ 379.872,23 correspondente a diárias, verba e cota de gabinete. Desse montante, R$ 150.950,56 foram os valores de despesas provenientes da cota parlamentar, R$ 221.275,48 corresponde à verba de gabinete e R$7.646,22 equivale a diárias em viagens oficiais. JHC não recebe auxilio moradia, pois possui um apartamento funcional em Brasília.

Do valor gasto com as cotas, R$ 65.000,00 foram com “Divulgação da Atividade Parlamentar”; R$ 43.646,40 com “Consultorias, Pesquisas e Trabalhos Técnicos”; R$ 27.866,82 com passagens aéreas, R$ 10.500,00 com locação ou fretamento de veículos automotores e R$ 4.193,18 com combustíveis e lubrificantes, serviços postais e manutenção de escritório. O Dia questionou quais seriam essas consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos acima citados, mas não obteve resposta.

Os deputados federais têm direito à cota e verba de gabinete e a diárias mais auxilio moradia. A Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP) custeia as despesas do mandato, o valor varia de acordo com cada estado, para os deputados alagoanos o valor mensal é de R$ 40.944,10 mensais. Cada deputado tem R$ 111.675,59 por mês para pagar salários de até 25 secretários parlamentares, que trabalham para o mandato em Brasília ou nos estados. Eles são contratados diretamente pelos deputados, com salários de R$ 1.025,12 a R$ 15.698,32. Os deputados não são obrigados a gastar todo esse valor, assim como também não precisam ter 25 secretários parlamentares, em alguns casos chegam a abrir mão dessas receitas e de alguns cargos, o que não vem sendo o caso do deputado JHC. A reportagem obteve resposta quanto ao número de secretários lotados no gabinete do deputado.

No início do ano, JHC colocou seu nome para a disputa da presidência da Câmara Federal, ação que provocou um “racha” no Partido Socialista Brasileiro (PSB), partido do qual o deputado preside em Alagoas. Em campanha, JHC disse em entrevista ao Jornal Diário de Pernambuco, que se fosse eleito presidente iria abrir mão de privilégios. Como deputado, neste ano, isso não foi feito. O Dia questionou o deputado sobre essa declaração e o porquê de ele não abrir mão dos privilégios que o cargo de deputado lhe oferece. Mais uma vez, ele não respondeu.

Parlamentar aposta em renovação, mas foge ao especificá-la

JHC vem liderando algumas pesquisas de intenção de voto para a Prefeitura de Maceió nas próximas eleições de 2020. Em entrevista ao jornal Gazeta de Alagoas, o deputado disse que é muito cedo para fazer previsões, mas afirmou que o resultado do último pleito abre caminhos para mudanças, “é indiscutível, o recado das urnas é de que a sociedade exige renovação”. A O Dia, ele não respondeu como e/ou seria esta renovação.

MARKETING

Em 2010, o deputado federal JHC, se lançou na política, sua primeira missão foi tentar se desvincular da imagem do pai, o ex-deputado João Caldas e da sua mãe , Eudócia Caldas, ex-prefeita de Ibateguara-AL. Mas, como ele iria conseguir fazer isso se ele carrega o mesmo nome do pai? Com uma jogada de marketing digna das grandes agências de publicidade do país, João Henrique Caldas virou sigla: JHC.

 Um estudante com patrimônio milionário 

Na sua primeira declaração de bens ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), à época com 23 anos, estudante, já acumulava um patrimônio de R$ 1.519.000,00. Ele foi eleito deputado estadual por Alagoas nesse ano, após cumprir os quatro anos de mandato, o jovem deputado milionário, aumentou o seu patrimônio em mais de 100%. Quando disputou pela primeira vez uma vaga na câmara federal em 2014, JHC declarou um total de bens de R$ 3.129.526,00.

Em 2016, JHC concorreu ao cargo de prefeito de Maceió, ficando em terceiro lugar. Na declaração de bens dele nesse ano, houve uma queda nos valores de alguns imóveis declarados. Mas o que chamou mais atenção foi o valor do apartamento à beira mar do deputado no Ed. Saint Moritz, no bairro da Jatiúca, área nobre de Maceió. O imóvel foi avaliado na declaração de bens de 2014 em R$ 2.060.526,00. Já, em 2016, o apartamento desvalorizou mais de 120%¨. Foi declarado por R$ 887.242,14. Uma desvalorização incompatível com o mercado imobiliário não só de Alagoas, assim como do Brasil. Na sua ultima declaração de bens ao TSE, em 2018, o mesmo apartamento foi declarado no valor de R$ 1.213.027,00, e o total de bens declarados por ele foi de R$ 2.399.418,00.


Comentar usando