Impa comemora 70 anos e quer maior aproximação com a sociedade

Live marca hoje início das comemorações

Impa comemora 70 anos e quer maior aproximação com a sociedade

Live marca hoje início das comemorações

Por Agência Brasil | Edição do dia 18 de janeiro de 2022
Categoria: Brasil, Educação | Tags: ,,,,


Maior aproximação com a sociedade é o objetivo principal da série de iniciativas que o Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa) está lançando para comemorar os 70 anos de fundação, que serão completados em 15 de outubro. Para marcar o início das comemorações, o instituto promove hoje (18), às 14h, a live “IMPA 70 anos: passado, presente e futuro”, que será transmitida na página do instituto no YouTube. Participam da conversa o diretor-geral do Impa, Marcelo Viana, o diretor adjunto e coordenador-geral da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), Claudio Landim, e os pesquisadores Artur Avila e Carolina Araujo.

“O Impa se tornou uma instituição conhecida da sociedade. Organizamos uma olimpíada (Obmep) que movimenta 20 milhões de crianças a cada ano. A gente tem acesso a essas crianças, às famílias, aos professores. É muito mais, a essa altura, do que um instituto de pesquisa e formação de pós-graduação”, disse Marcelo Viana à reportagem.

A ideia é que a comemoração dos 70 anos não seja festa de um pequeno grupo, mas partilhada com a sociedade, afirmou. O aniversário será comemorado ao longo do ano, tentando atingir todos os segmentos que recebam impacto do trabalho do Impa. “Eu acho que posso resumir em três palavras: passado, presente e futuro”, acrescentou Viana. Os preparativos vão lembrar o passado do instituto, com homenagens a seus fundadores e antigos pesquisadores. “Você chega aos 70 anos e atinge uma maturidade, como o Impa atingiu, então deve comemorar as realizações que ocorreram nesse período, os nossos pioneiros. Esse é o passado, mas não é o nosso foco”.

Presente

O presente traz desafios mas, ao mesmo tempo, está cheio de coisas boas, destacou o diretor-geral. Em 2022, estão sendo retomadas as atividades presenciais. “É quase um voltar à vida”. A Obmep, da mesma forma, voltará a retomar as solenidades de premiação. O programa de formação de alunos e professores também retorna ao formato presencial. Marcelo Viana informou que o Centro de Projetos e Inovação em Matemática Industrial, lançado no ano passado, já funciona este ano resolvendo problemas concretos da indústria, em parceria com empresas. O novo campus, cuja construção foi iniciada em 2021, vai avançar da mesma forma em 2022. Em razão da pandemia, o campus só deve ser concluído em 2024.

IMPA lança série de iniciativas para comemorar seus 70 anos (Foto: Ascom IMPA)

Em relação ao futuro, Marcelo Viana disse que é preciso pensar como vai ser o Impa nas próximas décadas e que contribuição ele pode dar à sociedade. “Isso significa apostar muito nos jovens, com programação voltada para eles, que ajude a desmistificar a matemática, a trazer pessoas – jovens e não jovens – para aproveitar a matéria”.

Em outubro, o Impa vai promover o Festival Nacional de Matemática, repetindo evento realizado em 2017 que, em quatro dias, atraiu cerca de 20 mil visitantes. O festival será na Marina da Glória, no Aterro do Flamengo, com perfil  voltado para a sociedade e que trata a matemática pelo lado lúdico, como forma de entretenimento e lazer.

Cientistas

Haverá ainda conferência científica, que começa dia 17 de outubro, com participação de prêmios Nobel de Matemática e ganhadores da medalha Fields, voltada para o público profissional da área. “Vai ser um ano inteiro com a visão de que o aniversário do Impa já não pertence só a ele, mas a toda a sociedade”.

Entre pontos importantes da história do Impa que serão lembrados durante o ano estão sua fundação, internacionalização, conquista da medalha Fields (considerada o prêmio Nobel da matemática) e a promoção do Brasil no Grupo 5 da União Matemática Internacional (IMU, na sigla em inglês). Será debatida também a ampliação da Obmep.

Com apenas duas pesquisadoras do sexo feminino e 41 pesquisadores, o Impa está consciente da necessidade de abertura para a diversidade de gênero, bem como outras diversidades. Para Marcelo Viana, é necessário criar mecanismos e atitudes que favoreçam a diversidade, particularmente no Impa. “Eu gostaria muito de dizer que batemos o recorde em presença feminina. Mas não é simples porque, em todo o mundo, a carreira científica na área de ciências exatas atrai pouco as mulheres”.

Segundo Viana, fatores socioculturais estão no centro dessa questão já que, em muitas casas, os meninos são mais incentivados a seguir carreiras de ciências exatas do que as meninas. Há uma perspectiva errônea de que mulheres são menos competitivas e análises como essa acabam influenciando as meninas quando vão decidir que carreira seguir.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados