IML divulga laudo de estupro de menina de 3 anos

IML divulga laudo de estupro de menina de 3 anos

Por | Edição do dia 17 de outubro de 2018
Categoria: Notícias, Polícia | Tags: ,,,,,,,


O Perito Médico Legista Luiz Antônio Mansur Branco, do Instituto de Medicina Legal Estácio de Lima concluiu e entregou nesta terça-feira (16), o laudo do exame de conjunção carnal realizado em uma criança supostamente vítima de estupro vulnerável cometido pelo próprio padrasto. O exame na menor de 03 anos, identificada pelas iniciais J. M. V. dos S. apontou a presença de lesão da mucosa anal, provocado por ação de instrumento contundente, apresentando ainda risco de morte.

De acordo com médico, a membrana himenal estava íntegra coraliforme, mas, a região do ânus apresentava uma fissura em mucosa anal. O laudo deixa claro que essa lesão anal não tem relação com a possível queda da própria altura da vítima, por apresentar apenas lesão interna e sem comprometimento da região perineal.

Ainda segundo o legista, a menina apresentava estado grave, intubada com ventilação mecânica, sedada, reativa aos estímulos, e sem condições de avaliação motora. Ainda ficou constatado equimose, edema e escoriação na região frontal à direita, equimose e edema nas regiões esternal, maxilar esquerda e submandibular esquerda, equimose em pavilhão auricular bilateralmente e escoriação nas regiões supra-hiódeia, cotovelo esquerdo e em joelhos bilateralmente.

Entenda o caso

No início do mês de outubro, uma criança de apenas três anos de idade deu entrada no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, vítima de abuso sexual. O padrasto da menor, tido como principal suspeito, foi preso no Hospital Geral do Estado, enquanto a criança era atendida.

A vítima está internada na Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) com trauma cranioencefálico e os médicos constataram uma ruptura no órgão genital e também no ânus da criança. A menina também tem lesões aparentes por todo o corpo.

De acordo com a justiça, o acusado possui um histórico de violência contra a criança. A mãe da menina, residente do municipio de Messias, não tinha conhecimento que a criança estava internada.

De acordo com a conselheira tutelar do município, a ruptura no hímen é antiga, enquanto a anal é recente. A menina também apresentou lesões aparentes por todo o corpo e foi internada na Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) com trauma cranioencefálico.

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados