Idosos em abrigos recebem terceira dose da vacina contra a Covid-19 em Maceió

Cerca de 29 mulheres que vivem na Casa Luíza de Marilac foram imunizadas nesta segunda-feira (27)

Idosos em abrigos recebem terceira dose da vacina contra a Covid-19 em Maceió

Cerca de 29 mulheres que vivem na Casa Luíza de Marilac foram imunizadas nesta segunda-feira (27)

Por Redação com assessoria | Edição do dia 27 de setembro de 2021
Categoria: Coronavírus, Maceió | Tags: ,,,


A aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19 para idosos que vivem em Instituições de Longa Permanência (ILPIs) começou nesta segunda-feira (27). Foram imunizadas 29 mulheres, com 60 anos ou mais, que moram na Casa para Velhice Luíza de Marilac, localizada no bairro Santa Amélia. A programação de imunização para idosos em abrigos segue de acordo com ajustes feitos pela Gerência de Imunização em Maceió.

Idosas recebem terceira dose da vacina contra a Covid-19 em Maceió. Foto: Polyana Monteiro/Ascom SMS.

Maria Vieira, de 86 anos, recebeu sua dose de reforço e falou emocionada sobre seu sentimento com a imunização. “Para mim, a vacina é a maior riqueza que a gente pode ganhar nesse momento em que tantas pessoas estão sofrendo com essa doença. Eu me emociono nesse dia porque sei que só vacinados nós vamos ficar bem e seguros”, disse.

Solange Araújo é coordenadora administrativa no local e fala que vê a vacinação das moradoras como um grande e emocionante presente. “Nós passamos a pandemia inteira muito preocupados com a saúde de todas e ver elas recebendo a terceira dose no dia de hoje é uma emoção indescritível, pois agora ficamos mais seguros de que esse vírus não irá invadir nosso lar”, comemorou.

O atendimento a todas as ILPIs vem ficando sob responsabilidade das equipes volantes da Saúde Municipal, que têm atuado também em outros locais como associações, instituições prisionais e nas residências de pessoas acamadas que se cadastraram pelos canais oficiais do município.

Enfermeira e responsável pela equipe de vacinação no local, Dulcilene Omena ressalta que o trabalho volante da Saúde é essencial para que o Município possa alcançar aqueles que possuem algum tipo de impedimento ou dificuldade de comparecer nos pontos distribuídos pela cidade.

“É um trabalho que tem feito toda a diferença na vida dessas pessoas que não conseguem se direcionar aos pontos e, provavelmente não iriam ser imunizadas se não viéssemos até elas. O resultado sempre é muito gratificante, pois vemos a emoção nos olhos de cada pessoa que passa a se sentir aliviada e mais segura contra esse vírus tão perigoso”, destacou a enfermeira.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados