Homem que aparece em vídeo fazendo discurso antivacina não tem formação médica

Ideias sem comprovação científica foram apresentadas durante reunião de comunidade escolar nos EUA

Homem que aparece em vídeo fazendo discurso antivacina não tem formação médica

Ideias sem comprovação científica foram apresentadas durante reunião de comunidade escolar nos EUA

Por Assessoria | Edição do dia 26 de agosto de 2021
Categoria: Alagoas, Coronavírus | Tags: ,,


Circula no WhatsApp um vídeo onde um homem, que diz ter várias titulações acadêmicas e formação médica, discursa contra as vacinas da Covid em um auditório. O autor das declarações não tem formação na área da saúde. As ideias apresentadas durante o evento são falsas.

Foto: Reprodução

O vídeo, gravado em inglês e legendado em português, foi extraído de uma reunião do Conselho de Educação do Distrito Escolar de Talawanda, no sudoeste de Ohio, estado do centro-oeste dos EUA. O homem que aparece discursando no vídeo inicia se identificando: “Dr. Sean Brooks, PhD, Oxford. Tenho 48 publicações, incluindo 23 livros. Estudei medicina da saúde, anatomia e fisiologia por aproximadamente 21 anos”.

Entre várias declarações falsas e conspiratórias, ele afirma que quem se imuniza vai morrer em poucos anos. “As pessoas que receberam [a vacina] vão morrer entre os próximos seis meses e três a cinco anos. Dr. Robert Malone, que criou a vacina de RNA mensageiro, disse que ninguém deveria tomar vacina”, afirma Sean Brooks.

O discurso apresenta dados sem embasamento científico e diverge do que todas as pesquisas e agências reguladoras sabem sobre a imunização. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, deixa claro que existem efeitos colaterais após aplicação de imunizantes, mas descarta situações graves.

“Você pode ter alguns efeitos colaterais, que são sinais normais de que seu corpo está construindo proteção, e devem desaparecer em alguns dias. Os efeitos colaterais graves que podem causar um problema de saúde de longo prazo são extremamente improváveis. O monitoramento da vacina tem mostrado historicamente que os efeitos colaterais geralmente acontecem dentro de seis semanas após o recebimento da dose da vacina”, explica a agência americana em seu site oficial.

Um fato curioso e que precisa ser esclarecido é que Sean Brooks não é médico. A identificação e informações profissionais podem dar a entender que ele seria médico com formação na Universidade de Oxford. No entanto, como também apuraram os sites LiberationHeavy e HITC, Brooks tem formação na área de educação e não em medicina. Ele passou pela Miami University que está localizada na pequena cidade de Oxford, no interior de Ohio, nos EUA. Ou seja, Oxford não é uma referência à renomada universidade britânica.

Outra desinformação durante a fala de Brooks é a de que o Drº Robert Malone teria criado a vacina de RNA mensageiro. Não é verdade. A editoria de Fact Check do site Visão esclareceu que Robert Malone não inventou a vacina de mRNA contra a Covid-19. Há 32 anos, o médico descobriu, na verdade, a forma de transferir RNA entre células, em células de cultura e ratinhos de laboratório. A apuração também explica que Malone é envolvido em desinformações sobre a vacina.

Alagoas Sem Fake

Com foco no combate à desinformação, a editoria Alagoas Sem Fake verifica, todos os dias, mensagens e conteúdos compartilhados, principalmente em redes sociais, sobre assuntos relacionados ao novo coronavírus em Alagoas. O cidadão poderá enviar mensagens, vídeos ou áudios a serem checados por meio do WhatsApp, no número: (82) 98161-5890. Clique aquipara enviar agora.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados