HGE amplia Serviço de Odontologia para a UTI Covid-19

Atendimento melhora qualidade de vida do paciente, diminui tempo de internação, reduz gastos e minimiza risco de óbito

HGE amplia Serviço de Odontologia para a UTI Covid-19

Atendimento melhora qualidade de vida do paciente, diminui tempo de internação, reduz gastos e minimiza risco de óbito

Por Redação com Assessoria | Edição do dia 25 de junho de 2021
Categoria: Saúde | Tags: ,,,,


Primeira unidade hospitalar pública em Alagoas a contar com assistência em saúde bucal dentro de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o Hospital Geral do Estado (HGE) ampliou o Serviço de Odontologia para a UTI Covid-19. Com isso, o HGE assegura assistência, ainda mais qualificada, aos pacientes internos para tratar complicações do novo coronavírus.

O Serviço de Odontologia também está presente na UTI Pediátrica, na Unidade de Dor Torácica (UDT) e na Unidade de Acidente Vascular Cerebral (UAVC). Por meio dele, o odontólogo mantém a higiene bucal e a saúde do paciente durante o período da internação, contribuindo para a prevenção das infecções hospitalares, principalmente as respiratórias e pulmonares.

Segundo Caio Branco, cirurgião dentista e responsável pelo projeto no HGE, a odontologia hospitalar já é uma realidade e está cada vez mais inserida nas UTIs. Isso porque, de acordo com o especialista, ela se soma a outras especialidades, como medicina, fonoaudiologia, fisioterapia e nutrição, qualificando o atendimento.

“A pneumonia hospitalar é responsável por cerca de 30% das mortes nas UTIs e traz grande preocupação. Por isso, é de extrema importância dar atenção à higiene e prevenção. O tratamento em si, inclui a higiene bucal adequada, prevenindo e tratando as infecções orais, periodontites, estomatites e outras doenças bucais e sistêmicas”, detalhou Caio Branco.

Constatação – A paciente J.A., de nove anos, foi atendida pelo projeto, que conta com sete cirurgiões dentistas. Epiléptica, a criança apresentou fratura corono-radicular em um dos dentes frontais com rizogênese [processo de formação da raiz do dente] incompleta e mobilidade. “A fratura coronoradicular é definida como uma fratura que envolve esmalte, dentina e cemento. Esse tipo de fratura compreende 5% das lesões traumáticas que afetam a dentição permanente e 2% das lesões que ocorrem na dentição decídua”, explicou Caio Branco.

A equipe de odontologia hospitalar do HGE realizou a exodontia do dente, cirurgia atraumática e minimamente invasiva. “O procedimento foi realizado com toda segurança, sempre aferindo os sinais vitais (pressão arterial, frequência respiratória e cardíaca, saturação de oxigênio e glicemia) e foi um sucesso”, relatou o cirurgião dentista.

Zenou Costa, coordenador dos profissionais da área no HGE, ressaltou que a ampliação do trabalho é uma importante vitória para os pacientes críticos e reflete o comprometimento da gestão com a qualidade do serviço no hospital. “Atualmente já é comprovado que o tratamento multidisciplinar só vem contribuir com a assistência e o profissional cirurgião dentista, nessas áreas, reflete na atenção ao doente. Estamos muito satisfeitos com essa extensão e com as melhorias para os pacientes e para o hospital”, celebrou.

Redução de Óbitos – Entre os benefícios do Serviço de Odontologia Intensivista, o dentista destacou a diminuição de óbitos, tempo de internação que impacta na redução dos custos e diminuição do gasto com antibióticos de alto valor. Ainda de acordo com ele, a unidade hospitalar também reduz a prescrição de medicamentos e verifica queda na indicação de nutrição parenteral, além da melhora da qualidade de vida do paciente e o diagnóstico precoce de doenças graves.

“Quanto menos tempo o paciente passar em uma área crítica, melhor será sua recuperação. Aliando-se a isso, temos a diminuição das infecções hospitalares e menos risco de complicações, o que é de grande avanço para o paciente”, citou Zenou Costa.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados