Hemoal investe em projeto e conscientiza estudantes sobre importância da doação de sangue

Iniciativa baseada no pensamento do educador Paulo Freire apresenta o ciclo do sangue aos alunos do Ensino Fundamental e Médio e esclarece dúvidas sobre o processo de doação

Hemoal investe em projeto e conscientiza estudantes sobre importância da doação de sangue

Iniciativa baseada no pensamento do educador Paulo Freire apresenta o ciclo do sangue aos alunos do Ensino Fundamental e Médio e esclarece dúvidas sobre o processo de doação

Por Redação com Assessoria | Edição do dia 29 de abril de 2022
Categoria: Saúde | Tags: ,,,,,


“É preciso plantar a semente da educação para colher os frutos da cidadania”. Baseado neste pensamento de Paulo Freire, filósofo e patrono da educação brasileira, o Hemocentro de Alagoas (Hemoal) está desenvolvendo o Projeto Hemotour. Por meio dele, os postos de coleta de sangue são visitados por crianças e adolescentes de escolas públicas e privadas, que passam a conhecer o ciclo do sangue – desde a captação até a transfusão – e são conscientizados sobre a importância da doação voluntária, para que se tornem doadores no futuro e sejam adultos com consciência cidadã e responsabilidade social.

Isso porque, mesmo que a maioria dos estudantes ainda não tenha 16 anos, idade mínima exigida pelo Ministério da Saúde (MS) para doar sangue, as crianças e adolescentes passam a conhecer o trabalho desenvolvido pelo Hemoal para captar, coletar, examinar e distribuir hemocomponentes em quantidade necessária para salvar a vida de milhares de alagoanos. Idealizado e executado pelo Núcleo de Captação de Doadores de Sangue do Hemoal, o Projeto Hemotour possibilita que os estudantes percorram os setores por onde o sangue passa, até chegar às unidades de saúde para ser transfundido em pacientes que dependem dele para sobreviver.

Acompanhados por assistentes sociais, as crianças e adolescentes visitam desde o Núcleo de Doação, onde ocorre a coleta de sangue, até o Serviço de Dispensação, onde as bolsas são liberadas aos hospitais para a transfusão. A cada setor visitado, eles recebem explicações e orientações sobre os pré-requisitos exigidos para se tornarem doadores voluntários de sangue, como o peso e idade exigidos, doenças que são impeditivos temporários e permanentes, bem como, as condições e atos que podem impedir, momentaneamente, o gesto voluntário, como a colocação de piercing, a ingestão de bebidas alcoólicas e o fato de ter feito uma tatuagem.

“Procuramos sempre falar uma linguagem coloquial e direta, para mostrar como o ato de doar sangue é simples e não acarreta nenhum problema à saúde do voluntário. Também procuramos esclarecer todas as dúvidas e os mitos que muitas crianças e jovens têm sobre o tema, além de enfatizar que a colocação de piercing ou o fato de ter feito uma tatuagem, por exemplo, é um impeditivo temporário para doar sangue, que dura apenas 12 meses”, salienta a assistente social do Hemoal, Rayara Andrade, ao enfatizar que menos de 2% da população alagoana doa sangue, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza 3%.

Agentes Multiplicadores – Conforme a médica Verônica Guedes, gerente do Hemoal, dependendo da faixa etária dos estudantes que integram o grupo que participa de cada edição do Projeto Hemotour, os assistentes sociais orientam se já é possível se candidatar à doação de sangue. Caso os visitantes tenham menos de 16 anos, é esclarecido que o gesto voluntário só poderá ser praticado posteriormente, mas, que eles podem atuar como agentes multiplicadores, orientando os pais, irmãos, avós, tios e primos sobre a importância da doação sanguínea.

“Também mostramos como é fácil, prático e simples se dirigir a um dos Postos de Coleta do Hemoal, localizados na capital e no interior, para se candidatar à doação de sangue. Nós enfatizamos que, caso tenham 16 e 17 anos, podem realizar a doação, desde que estejam acompanhados dos pais ou do responsável legal. Esse processo mostra a importância do Projeto Hemotour, no sentido de fazer as crianças e jovens conhecerem o trabalho que o Hemoal realiza diariamente para captar, processar, armazenar e liberar o sangue aos hospitais, bem como, é fundamental no sentido de conscientizá-los para se tornarem os doadores do futuro, além de incentivá-los a captarem novos voluntários”, enalteceu a gerente do Hemoal.

Parceria – Entre as parceiras do Hemoal no Projeto Hemotour, está a Escola Nossa Senhora Aparecida, situada em Maceió. Na última semana de abril, a unidade escolar levou um grupo de estudantes do 3º ano do Ensino Médio até o Posto de Coleta de Sangue do Trapiche, possibilitando que eles conhecessem todo o ciclo do sangue, passando pela recepção do doador, consultórios de triagem médica, sala de coleta, lanchonete, laboratórios, dispensação, onde o sangue é armazenado e distribuído às maternidades e hospitais, além do Ambulatório de Hematologia.

Emocionada por realizar o sonho de doar sangue, a estudante Maria Eduarda Vital, de 16 anos – idade mínima para se candidatar à doação voluntária de sangue –, participou do Hemotour e levou a mãe para autorizar a sua doação. Isso porque, conforme portaria do Ministério da Saúde, menores de 18 anos só podem doar sangue acompanhados dos pais ou de um responsável legal, que esteja portando documentos originais e com foto e assine um termo autorizando a doação.

“Estava muito nervosa para doar sangue. Realizei um dos meus sonhos. Não via a hora de completar 16 anos para vir ao Hemoal doar. Após o Hemotour, todas as minhas dúvidas foram esclarecidas pelas assistentes sociais que nos acompanharam na visita e vi todo o esforço que os profissionais fazem, nas mais diversas áreas, para salvar vidas”, salientou a adolescente.

O que: Projeto Hemotour

 

Agendamento: Hemoal Maceió (3315 2109) / Hemoal Arapiraca (3521 4934)

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados