Governo lança publicação com as obras completas do escritor Aloísio Costa Melo

Alusivo ao centenário da Academia Alagoana de Letras, lançamento será na quinta-feira (14), com apoio do governo do estado

Governo lança publicação com as obras completas do escritor Aloísio Costa Melo

Alusivo ao centenário da Academia Alagoana de Letras, lançamento será na quinta-feira (14), com apoio do governo do estado

Por | Edição do dia 12 de novembro de 2019
Categoria: Cultura | Tags:


ad5c931eeae93fd4d69845c908ad8500_L

Foto: Cícero Rodrigues

As Obras Completas do escritor alagoano Aloísio Costa Melo (1919-1998) serão lançadas na quinta-feira (14), às 19h, no Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas (IHGAL), Centro de Maceió. Publicadas com apoio do governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Comunicação, a publicação faz parte das comemorações alusivas ao centenário da Academia Alagoana de Letras (AAL) e aos 100 anos do autor.

Nascido em Capela, Costa Mello deixou importante contribuição ao acervo literário local. Membro da Academia Alagoana de Letras e do IHGAL, esteve próximo à literatura desde a juventude, acumulando sensibilidade na arte de narrar fatos e, dessa maneira, puxar pela memória afetiva e geográfica do leitor.

Quando lança o primeiro livro, Se não me falha a memória (1992), mostra sua maturidade literária e cuidado com o ato da escrita. Romancista e contista, Aloísio Costa Melo deu existência poética às lembranças vividas nos contextos rural e urbano das pequenas cidades alagoanas, dosando sempre a narrativa com interferências ficcionais que tornam a leitura mais agradável, sem deixar de ser um registro recorrente de época e contexto social.

Sobre o autor, o crítico literário e doutor em Literatura Brasileira, Vicente Ataíde escreveu “ele veio a publicar no fim da vida, mas a formação se foi fazendo de modo constante e sólido. Reconstituiu o mundo antigo deliciosamente misturado com os acontecimentos do presente, num passe de mágica que faz o leitor, súbito, não saber mais em que universo se encontra: no real, no ficcional; no antes, no agora.”

O apuro narrativo do escritor também foi objeto de análise da professora da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Alagoas, Isabel Brandão.  Segundo ela, “Mais do que um tempo vivido, a narrativa de Costa Melo conta histórias que pertencem ao mundo imaginado que, através da memória, é recontado e assim reinventado – diria mesmo ficcionalizado, a partir das lembranças evocadas.”

Organizada pela jornalista Cíntia Ribeiro e pela professora da Ufal Maria Heloísa Melo de Moraes, filha do escritor, e com designer gráfico de Cícero Rodrigues, a publicação reúne dois volumes (Memória e Ficção). O arquiteto e presidente do Iphan-AL, Mário Aloísio, assina as ilustrações com desenhos (a bico de pena).

Para o secretário de Comunicação, Enio Lins, além da relevância literária, o trabalho tem o sentido de afeto compartilhado pela participação dos filhos: “Heloísa  foi a primeira leitora do pai, e Mário vem com as ilustrações”. Para o secretário, o lançamento reafirma o propósito do governo em ampliar e divulgar o melhor da literatura de matriz alagoana.  “Entendemos que o desenvolvimento de um estado só se efetiva com reconhecimento e apoio a seus valores humanos e imateriais”, conclui Lins.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados