Gasoduto de Arapiraca vai gerar economia de 70% em indústrias e residências

Gasoduto de Arapiraca vai gerar economia de 70% em indústrias e residências

Por | Edição do dia 5 de maio de 2016
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags:


arnobio-600x400

Setor público e empresários do setor se reúnem para conhecer os investimentos no gasoduto (Foto: assessoria)

A chegada do gasoduto em Arapiraca irá atrair novos investimentos e também gerar uma economia de 70% para indústrias e residências que utilizarem o gás natural em substituição à energia elétrica. A informação foi dada na noite desta quarta-feira (4), no auditório do Sebrae, pelo presidente da Algás, Arnóbio Cavalcanti.

O presidente da indústria fez apresentação das etapas da obra, do planejamento e das vantagens do gás natural como alternativa energética para alavancar ainda mais o desenvolvimento econômico e social de Arapiraca e cidades da região.

Representando a prefeita Célia Rocha, o vice-prefeito Yale Fernandes acompanhou a apresentação ao lado da secretária de Indústria, Comércio e Serviços, Myrka Lúcio, o deputado estadual Ricardo Nezinho e empresários de investimentos locais.

Obras e investimentos

As obras, que tiveram início em janeiro deste ano, têm previsão de serem concluídas em dezembro de 2017. Os investimentos são de uma parceria entre o governo de Alagoas, a Algás e a Prefeitura de Arapiraca.

Ao todo, serão quatro etapas (sendo as duas primeiras entre os municípios de Penedo, Igreja Nova e São Sebastião) de um total de 66 km distribuindo gás natural.

O empreendimento tem investimento de R$ 70 milhões, sendo 20% executados com recursos próprios da distribuidora alagoana e os demais alavancados via financiamento com o Banco do Nordeste. São 66 km de dutos saindo do Povoado Itaporanga, em Penedo, até o grupo Coringa, na cidade de Arapiraca.

A primeira etapa da obra do Gasoduto Penedo-Arapiraca (até a BR-101) será concluída em abril de 2017 e chegará ao município em dezembro. Serão 340 mil metros cúbicos por dia, sendo dutos de seis polegadas em aço-carbono, com um sistema de alta tecnologia japonesa.

Geração de Imposto Sobre Serviços

Ainda durante a apresentação, os diretores da Algás revelaram que a obra vai gerar num curto espaço de tempo uma receita de R$ 500 mil em Imposto Sobre Serviços (ISS), com a compra de 5 mil litros de combustíveis, 300 refeições diárias e a contratação de mão de obra local.

Até o momento já foram concluídas as duas primeiras etapas, perfazendo um total de 32 km de rede, ou seja, 51,34% da obra.

Além da economia de 70% na substituição da energia elétrica pelo uso do gás natural, o produto também apresenta vantagem em relação a outros combustíveis. Em comparação com a gasolina, que custa R$ 3,78 o litro, o gás comprimido passará dos atuais R$ 2,79 para R$ 2,29.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados