Fut 7 cresce e Alagoas fica com o título da Copa do Nordeste

Antigo Jaqueirense, CSA conquista o bicampeonato do Nordestão em Maceió

Por Thiago Luiz | Edição do dia 9 de novembro de 2020
Categoria: Esportes, Outros Esportes | Tags: ,,,,


A formação de um clube tem como ponto alto o investimento em um bom time de futebol. Mas para se consolidar como uma instituição completa é preciso investir em outras modalidades do esporte. No início de 2019, o Centro Sportivo Alagoano lançou o CSA Olímpico, um projeto que visa englobar modalidades olímpicas e outros desportos na esfera maior do clube marujo.

Pensando nisso, além de fechar parcerias com instituições importantes como a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e trazer para dentro de suas dependências promessas do esporte olímpico, o Azulão entrou em contato com um velho conhecido, e ex-presidente, Cícero Eugênio, para transformar o antigo Jaqueirense, clube tradicional da várzea de Maceió e que começou a ganhar projeção nacional no futebol 7, no representante azulino da modalidade.

E assim foi feito. Em janeiro deste ano, Omar Coêlho, vice-presidente do time marujo, conseguiu firmar mais uma parceria. A princípio, o time de Fut 7 poderia utilizar a estrutura física e os equipamentos disponibilizados para as categorias de base e carregaria o nome da entidade nas competições.

O Jaqueirense já tinha um legado na modalidade: títulos estaduais, campeão brasileiro em 2018 e campeão regional no ano passado. Além de ter como destaque individual o pivô Dani, premiado como o melhor do Brasil na posição. Nomes conhecidos no futebol profissional passaram pelo time do bairro da Jaqueira, como o volante Olívio e também jogadores experientes que como os atacantes Denis Marques e Zé Carlos, que além de jogar apoiam o projeto da região onde cresceram.

E para a camisa azulina começar a aparecer no fut 7, seria preciso uma aparição de gala, já que os torcedores do Jaqueirense estavam “mal acostumados” com os títulos conquistados com a camisa amarela e preta. A primeira oportunidade seria no Campeonato Alagoano, que precisou ser adiado por conta da pandemia do novo coronavírus e ainda está em andamento.

Outra grande chance seria a Copa do Nordeste. Com data marcada para junho no calendário da Confederação Brasileira de Futebol 7 (CBF7), a competição regional só pôde acontecer no primeiro final de semana de novembro, em Maceió. E foi justamente nessa competição que a equipe comandada por Cícero Eugênio, que defendia o título, garantiu o bicampeonato. O primeiro título como CSA.

Mas para conseguir o êxito, a caminhada não foi fácil. Na fase de grupos, o Azulão quase fica pelo caminho, após empatar com o EMA [time também alagoano], vencer o PKS-MA e perder para o UZR-CE. Se classificou para a fase eliminatória pelo saldo de gols, que ficou zerado. Enquanto o concorrente pela vaga, Eusébio-CE, ficou com saldo negativo de um gol.

Autores dos gols do título, Robson e Xabala comemoram juntos. Foto: Léo Fotos Fut 7

Nas quartas de final conseguiu golear o Murão-CE por 5 a 0 e reanimou o time, que chegou aparentemente desanimado para o mata-mata. Na semifinal empatou por 2 a 2 com o União Bom Jardim-MA e passou nos shoot outs, com uma importante participação do goleiro Jean, que pegou a última cobrança dos maranhenses e assegurou a classificação para a decisão.

Na final, reencontrou a equipe cearense do UZR. 2 a 1 no placar e muita festa nos gramados. O fixo Robson e o ala Xabala fizeram os gols da decisão que deram o título ao CSA. No pós-jogo, o técnico Cícero Eugênio, premiado o melhor da competição, se emocionou ao lembrar da influência do pai em ser azulino e afirmou começar uma nova era para o fut 7 alagoano, no cenário nacional, com um representante com o nível e com o nome do CSA.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados