Fortes chuvas voltam a afetar abastecimento do Agreste alagoano

Qualidade da água bruta captada no Rio São Francisco inviabiliza o tratamento

Fortes chuvas voltam a afetar abastecimento do Agreste alagoano

Qualidade da água bruta captada no Rio São Francisco inviabiliza o tratamento

Por Redação com Assessoria | Edição do dia 7 de junho de 2022
Categoria: Alagoas | Tags: ,,,,,


As intensas chuvas verificadas nos últimos dias voltaram a impactar a produção de água tratada nos dois sistemas de abastecimento que atendem aos municípios do Agreste. Isso foi o que a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) e a empresa parceira Agreste Saneamento informaram na manhã desta terça-feira (7).

“Tanto o Sistema Coletivo quanto o Adutor do Agreste precisaram ser paralisados hoje devido a dificuldades no tratamento do líquido bruto, aquele que é captado em mananciais para depois ser tratado”, explicou o coordenador de Produção e Distribuição da Casal Denylleydson Gracindo, com base em relatório repassado pela Agreste Saneamento, empresa que opera os sistemas.

De acordo com ele, a enorme quantidade de material sólido carreado pelas chuvas para o Rio São Francisco — do qual se capta o líquido nas captações de Traipu (Sistema Adutor do Agreste) e do Morro do Gaia (Sistema Coletivo do Agreste) — afetou a cor e a turbidez da água, dificultando sobremaneira o processo de tratamento.

A suspensão temporária da operação dos sistemas segue recomendações da legislação que regula o abastecimento, a qual proíbe a distribuição de água fora dos padrões de consumo. A Casal e a Agreste Saneamento seguem monitorando a qualidade da água bruta do Rio São Francisco para, tão logo seja possível, retomarem as atividades.

Com a paralisação do tratamento, a distribuição de água fica deficiente em São Brás, Olho D’água Grande, Campo Grande, Girau do Ponciano, Lagoa da Canoa, Feira Grande, Coite do Noia e bairros da parte baixa de Arapiraca, todos contemplados pelo Sistema Coletivo do Agreste; o serviço também fica afetado em Craíbas, Igaci e na parte alta de Arapiraca, esses atendidos pelo Sistema Adutor do Agreste.

A Casal e a Agreste Saneamento já disponibilizaram carros-pipa para assegurar a disponibilidade de água em prédios públicos e hospitais.

Sistemas isolados de abastecimento

O abastecimento de Taquarana também foi paralisado nesta terça-feira (7). Nesse caso, devido a problemas elétricos na captação do sistema que atende exclusivamente ao município. Equipe técnica da Casal vai efetuar o diagnóstico da situação ainda na tarde de hoje e, a partir dos resultados obtidos, atuar para a retomada das atividades.

Em Traipu, o abastecimento está afetado devido à grande quantidade de matéria sólida carreada pelo São Francisco para a estação de captação da cidade. A Casal segue realizando limpezas para viabilizar o restabelecimento do serviço.

O fornecimento de água de Campo Alegre, por sua vez, está impactado devido à interrupção nas atividades de um dos poços tubulares profundos que contribuem para o montante de água distribuída no município. As equipes da Casal já estão trabalhando para reativar a unidade produtora de líquido.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados