Forças sírias recuperam estação de abastecimento de água

O Estado Islâmico havia paralisado as operações de abastecimento de água após a retomada de Aleppo pelo regime em dezembro

Forças sírias recuperam estação de abastecimento de água

O Estado Islâmico havia paralisado as operações de abastecimento de água após a retomada de Aleppo pelo regime em dezembro

Por | Edição do dia 7 de março de 2017
Categoria: Internacional, Notícias | Tags: ,,,


Aleppo: a população da segunda maior cidade da Síria não tem acesso à água corrente há cinquenta dias (Insight Mideast-Crisis/Syria-Aleppo-Fall Sana/Handout/Reuters)

Aleppo: a população da segunda maior cidade da Síria não tem acesso à água corrente há cinquenta dias (Insight Mideast-Crisis/Syria-Aleppo-Fall Sana/Handout/Reuters)

As forças do governo sírio retomaram o controle da estação de abastecimento de água que alimenta a cidade de Aleppo, até então nas mãos do grupo Estado Islâmico (EI), informou nesta terça-feira o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

“As forças do regime retomaram a localidade de al-Khafsa e assumiram o controle da estação de bombeamento de água após a retirada dos extremistas do EI, pela ofensiva das tropas governamentais apoiadas por ataques russos”, indicou à AFP Rami Abdel Rahman, diretor do OSDH.

O EI havia paralisado as operações de abastecimento de água após a retomada de Aleppo pelo regime em dezembro.

A população da segunda maior cidade da Síria não tem acesso à água corrente há cinquenta dias e as forças do regime fizeram da retomada desta instalação uma prioridade.

A estação de abastecimento está localizada no leste da província de Aleppo, perto do rio Eufrates.

A operação terrestre conduzida pelas forças do governo é acompanhada desde o seu lançamento, em janeiro, por ataques aéreos e bombardeios, o que levou a um grande êxodo de civis.

Pelo menos 26.000 pessoas fugiram da área desde 25 de fevereiro, de acordo com a ONU. Muitos foram para Minbej, cidade cerca de 20 km ao norte de al-Khafsa e controlada por uma aliança de combatentes curdos e árabes chamada Forças Democráticas da Síria (FDS, apoiada pelos Estados Unidos).

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados