Fiea e CNI discutem parceria com embaixadora da Áustria

Eles trataram sobre o estreitamento de relações comerciais, culturais e educacionais

Fiea e CNI discutem parceria com embaixadora da Áustria

Eles trataram sobre o estreitamento de relações comerciais, culturais e educacionais

Por | Edição do dia 11 de julho de 2016
Categoria: Alagoas, Blog, Notícias | Tags: ,,,,,


Foto: assessoria

Foto: assessoria

Dirigentes da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea) e da Confederação Nacional da Indústria (CNI) receberam, na manhã desta segunda-feira, 11, a embaixadora austríaca, Marianne Feldmann, na Casa da Indústria Napoleão Barbosa, em Maceió. Eles trataram sobre o estreitamento de relações comerciais, culturais e educacionais entre uma das 30 maiores economias mundiais e o estado nordestino.
Durante a reunião, o presidente da Fiea, industrial José Carlos Lyra de Andrade, presenteou a embaixadora com obras que trazem as riquezas culturais, gastronômicas e arquitetônicas de Alagoas, revelando o potencial turístico local. Ele ressaltou, ainda, a potencialidade industrial do estado, citando como exemplo setores como os de metalmecânica, alimentos e congelados.
Presente ao encontro, o diretor adjunto de Educação e Tecnologia da CNI, o alagoano Sérgio Moreira, demonstrou interesse em firmar parceria para trazer ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) a experiência austríaca na formação profissional de jovens. “Eles têm mais de 76% da população jovem fazendo cursos profissionalizantes. E são tão bons quanto os alemães”, disse Moreira.
“Nossa taxa de desemprego entre a população jovem é a mais baixa da Europa, nunca chega a 10%”, explicou a embaixadora Marianne Feldmann, que também presenteou o presidente da Federação das Indústrias de Alagoas com um livro sobre a cultura, a história e outras peculiaridades da Áustria.
De acordo com a diplomata, o país europeu possui cerca de 260 empresas atuando no Brasil – a maioria em São Paulo, Minas Gerais e região Sul – e se destaca no desenvolvimento de tecnologias sustentáveis para grandes cidades, tecnologia de petróleo, mineração, entre outros setores.
O presidente da Fiea, José Carlos Lyra, explicou à embaixadora que a entidade integra a rede de Centros Internacionais de Negócios (RedeCIN), que trabalha na internacionalização de empresas brasileiras e pode contribuir para facilitar o intercâmbio comercial. Participaram da reunião o 1º secretário da Federação, industrial Alberto Cabús, e o consultor da CNI, Artur Jose Solon Neto.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados