Exercícios físicos podem ser grandes aliados à saúde mental e física durante a quarentena

Por Thiago Luiz - Estagiário | Edição do dia 24 de maio de 2020
Categoria: Especiais | Tags: ,,,


Durante o período de quarentena em razão da pandemia do novo coronavírus, toda a população tem buscado meios de ocupar o tempo livre que está sendo, obrigatoriamente, passado em casa. Nas redes sociais e dentro do próprio convívio, é perceptível o número de pessoas que têm aproveitado esse período para dar continuidade e até iniciar a prática de exercícios físicos.

Sem academia, o relações públicas João Paulo está se adaptando com exercícios feitos em casa. Foto: Arquivo Pessoal

Como é o caso do relações públicas João Paulo Rocha. Praticante de musculação há dois anos, o isolamento social não foi motivo para interromper a rotina de treinamentos. Agora, em seu apartamento, o jovem tem tentado seguir a rotina. “Ficar em casa potencializou meus hábitos saudáveis e justamente nesse momento de pandemia, onde nós temos que nos manter mais fortes e nos cuidar de um modo geral”, frisou.

Apesar de morar em apartamento, João tem adaptado os treinos que já praticava na academia. A solução para aproveitar o interior de sua residência foi comprar alguns equipamentos de musculação que se adequem ao espaço que tem disponível. E, ainda que ele siga a rotina de exercícios, confessou sentir falta do ambiente do ginásio.

Nesse momento de muita insegurança e notícias ruins, a musculação é um escape para ele. “Vou sempre tentando modificar os treinos para não ficar repetitivo e respeitando o tempo do meu organismo, sem tentar forçar ou pensar no lado negativo de toda essa situação e ao mesmo tempo estabelecendo um cronograma não muito rígido”, salientou.

A iniciativa de dar seguimento aos treinos e divulgar imagens nas redes sociais incentivou outros amigos a começarem uma vida mais saudável. A motivação de pessoas como o relações públicas pela internet pode ser um fator positivo para pessoas que vivem no sedentarismo.

A personal trainer Núbia Rafaela orienta que as pessoas procurem profissionais para que sejam recomendados exercícios seguros. Foto: Arquivo Pessoal

Em contrapartida, dar início a atividades físicas sem o acompanhamento de um profissional, ou sem a “consciência corporal”, que consiste em conhecer a mecânica dos movimentos e o limite do corpo, pode causar danos ao praticante.

A personal trainer Núbia Rafaela orienta que “Para quem não tem o hábito de se exercitar e não tem vivência com determinados exercícios ou para quem tem algum tipo de patologia muscular ou articular, pode ser perigoso fazer exercícios que não sejam prescritos individualmente para estas pessoas”.

Núbia disse ainda que para quem tem o desejo de dar início a uma vida saudável e quer criar uma rotina de treinos, o ideal é procurar um profissional de Educação Física, para que haja uma troca de informações e uma orientação quanto aos exercícios e suas execuções.

A profissional disse ainda que, mesmo com os riscos apresentados, praticar atividade física é uma alternativa muito interessante, tanto para os que já estão habituados, quanto para os sedentários. Além da questão estética que é melhorada, existe ainda a saúde que é muito mais fortalecida.

O goleiro do CRB, Victor Souza, também está mantendo a rotina e exercícios em casa. Foto: Reprodução

Para atletas profissionais, deixar de treinar não é uma opção. Como é o caso do goleiro do CRB, Victor Souza. O arqueiro regatiano treina todos os dias, seguindo um cronograma montado pelos profissionais do clube e sendo acompanhado de forma virtual, junto com os outros companheiros de equipe.

Segundo o goleiro, mesmo que de uma forma diferente e não tendo o mesmo proveito dos dia a dia no Ninho do Galo, a rotina tem sido importante para manter o condicionamento físico. “Não é a mesma coisa dos treinos diários, principalmente para nós goleiros, mas tem sido bacana. A gente vem mantendo o ritmo, evoluindo e vem sendo proveitoso pra gente”

Mas, mesmo para as pessoa que têm a opção de ficar “paradas”, realizar treinamentos traz benefícios ainda para a saúde mental, uma parte tão importante do corpo que vem sendo “exigida” nesse período de pandemia.

O psicólogo Carlos Gonçalves afirma que a busca por opções que ocupem a cabeça e dê prazer nesse momento é extremamente necessária. Foto: Arquivo Pessoal

O psicólogo Carlos Gonçalves afirma que a busca por opções que ocupem a cabeça e dê prazer nesse momento é extremamente necessária para que as pessoas possam se encontrar e não entrar em desespero pelo bombardeio de notícias ruins que estão sendo disparadas pelos números de casos e mortes pela Covid-19.

“Isolamento é uma palavra muito forte, que automaticamente já manda informação para o nosso cérebro dizendo que temos que ficar afastados uns dos outros. Então, nesse momento de quarentena o que a gente está percebendo é que muitas pessoas estão se reinventando também, outras estão em puro sofrimento, outras vão realmente dar uma boa piorada na questão da saúde mental, e algumas vão realmente buscar alternativas”.

A prática de exercícios físicos pode ser um forte aliado no combate de transtornos como depressão e ansiedade, que têm crescido ainda mais nesse período. Movimentar o corpo significa diminuir os níveis de cortisol [hormônio do cansaço, do “desânimo”], ajuda a regular o sono, e a reduzir ainda o estresse. Além disso, há ainda o aumento de serotonina, o hormônio que causa uma sensação de bem-estar.

“Além de ‘espantar’ o cortisol, o exercício físico vai dar uma sensação boa para a mente e para o corpo, e essa informação o cérebro recebe automaticamente, e ao receber ele introjeta e automaticamente a pessoa vai repetindo isso, porque a sensação é de prazer”, explicou o psicólogo.

“Então faça natação, ciclismo, caminhada, jogue futebol, corra, pedale, pule, saia da sua zona de conforto. Atividade física é muito prazerosa e traz sim, resultados benéficos para a saúde física e mental da pessoa”, finalizou o especialista.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados