Estudantes relatam suas expectativas para a volta às aulas da Ufal de forma remota

Por Carol Amorim - Repórter | Edição do dia 4 de outubro de 2020
Categoria: Especiais | Tags: ,,,,,


Ufal retornará aulas de graduação por meio do ensino remoto. Foto: Reprodução

Após quase sete meses de suspensão de atividades presenciais da graduação, a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) voltará com aulas regulares de forma remota no próximo dia 13 de outubro. Estudantes relataram sobre as expectativas de volta nesse período que não exige a mesma obrigatoriedade de um período padrão de atividades universitárias.

A volta das aulas de graduação da Ufal foi denominada de Período Letivo Excepcional (PLE) e apenas os graduandos que se sentirem preparados poderão optar por cursar esse período. Os estudantes que optarem por não fazer as aulas remotas, poderão esperar pelo retorno das aulas presenciais da Ufal sem que sejam prejudicados. 

Ingresso dos calouros

O calouro do curso de Ciências Contábeis, Matheus Gama, revelou que, mesmo com o adiamento do início do seu ingresso à universidade, suas expectativas continuam altas para iniciar a graduação. Foto: Reprodução / Marcos Santos/ USP Imagens

O estudante Matheus Gama, 19, é um dos universitários que optaram por cursar o PLE. Matheus é calouro do curso de Ciências Contábeis e, antes da pandemia da Covid-19 se instalar no Brasil, ele estava na expectativa de começar uma nova etapa da vida como um estudante de graduação. Apesar da pandemia ter adiado o seu ingresso a universidade, ele garante que as expectativas continuam altas.

“Eu estou interessado em cursar algumas matérias nesse período excepcional, para ter de fato uma inserção dentro do dia a dia do curso”, contou. 

Ele também contou que acredita que seu desempenho como estudante não será prejudicado, já que possui estrutura em casa para estudar à distância. Mas confessou que talvez, nesse início, sua interação com a universidade, professores e colegas de turma seja um obstáculo a ser superado. 

“Visto que os períodos iniciais do curso são os momentos mais ‘complicados’ para qualquer aluno, surgem muitas dúvidas e o contato direto com a instituição em si é muito importante”, afirmou.

Visão dos veteranos

A estudante de Medicina, Mayara Emilly, disse que a volta às aulas está sendo muito aguardada por ela e por seus colegas. Foto: Arquivo Pessoal

A estudante de medicina Mayara Emilly, 25, relatou que a volta às aulas está sendo muito aguardada por ela e por seus colegas de turma. Ela conta que preferiria que houvesse a disponibilidade, ao menos, de aulas semipresenciais para os cursos da saúde, com disciplinas práticas sendo ministradas, com grupos pequenos de alunos, algo que já acontecia em aulas em ambulatório. Mas que, apesar do retorno não ser como o esperado, ela também irá aderir ao PLE.

“Assim como outros cursos da saúde, o curso de Medicina necessita de muita prática e campos de estágios. Eu, sem dúvidas, prefiro que as aulas práticas retornem o mais rápido possível. Já estamos muito atrasados em relação às outras universidades e faculdades dos outros estados e, atrasados, inclusive, em relação às de Maceió, que continuaram suas aulas teóricas ‘via EAD’”, explicou.

Com o retorno das aulas de graduação da Ufal por meio do PLE, os estágios obrigatórios presenciais para o cursos de Medicina, Nutrição, Odontologia, Enfermagem, Psicologia, Farmácia, Serviço Social, Educação Física, Ciências Biológicas e Medicina Veterinária foram autorizados pela Pró-reitoria de Graduação (Prograd).

Ao se tratar do curso de Medicina, o estágio é feito nos últimos semestres de graduação. Mayara cursa, no momento, o 8º semestre e terá, por enquanto, apenas a oferta das aulas remotas.

Condições para o retorno por meio do PLE

Jailton Lira, presidente da Adufal, diz que docentes defendem que as aulas presenciais retornem apenas num cenário seguro, com a chegada da vacina contra a covid-19. Foto: Reprodução / Internet

O presidente do Associação dos Docentes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Jailton Lira, informou que o retorno às aulas por meio do PLE só aconteceu após debates entre os docentes para que os alunos sem internet em casa ou equipamentos pudessem ser incluídos nesse retorno. 

“A Ufal está concorrendo a um edital do Governo Federal para que estudantes sem maiores condições possam receber um chip 4G para ter acesso ao conteúdo remoto. Além disso, a universidade está preparando uma bolsa especial para esse período, para que esses estudantes possam ser assistidos”, contou.

Jailton revelou ainda que não há garantias ainda de que os estudantes com menos recursos receberão o auxílio antes do início do PLE, mas que há uma mobilização entre muitos docentes para que as aulas retornem apenas diante da garantia de que esses estudantes possam ter acesso às aulas.

O presidente da Adufal ainda contou que a aula remota também é um desafio para muitos docentes que apresentaram dificuldades com os equipamentos digitais e que, até mesmo para os docentes, o retorno por meio do PLE será opcional. 

“Outra pauta que discutimos foi a necessidade dos docentes terem uma carga horária definida, já que muitos relataram que, com a suspensão das aulas presenciais, ficaram mais atribuídos com as funções da Ufal. É importante ressaltar que nós não paramos. Apesar da suspensão das aulas presenciais da graduação, outras atividades acadêmicas continuaram, inclusive a pós-graduação”, reforçou.

Ao comentar sobre o retorno presencial das aulas, Jailton disse que os docentes sustentam a opinião de que as aulas presenciais só devem retornar após o controle da pandemia e a chegada de uma possível vacina contra à covid-19.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados