Estudantes de Arapiraca são estimulados a pensarem sobre o sentido da vida

Estudantes de Arapiraca são estimulados a pensarem sobre o sentido da vida

Por | Edição do dia 28 de setembro de 2018
Categoria: Educação, Notícias | Tags: ,,,,


Foi com esse questionamento que a psicóloga, especialista em saúde mental e voluntária do Centro de Valorização da Vida (CVV), Gisele Rodrigues, começou sua conversa com os alunos do 7º ao 9º ano da Escola de Ensino Fundamental José Pereira Lúcio, na manhã desta quinta-feira (27,  no Centro de Referência Integrado de Arapiraca (Cria). A escola fica na Vila Bananeiras, Zona Rural de Arapiraca, e partiu da diretora Shirley Henrique a iniciativa de participar do Fórum Intersetorial de Cuidados em Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas (Ficsmad).

“Quero que eles comecem a se questionar sobre o valor que a vida tem, muitos não têm perspectiva nenhuma e tenho certeza que participando de uma reunião como essa eles vão sair motivados e com um novo olhar sobre si e o mundo”, justificou a professora.

IMG_8210-1024x683

O Fórum, que acontece todo mês, é aberto a sociedade civil, usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e profissionais do município. Especialmente o deste mês marcou o encerramento das ações alusivas ao Setembro Amarelo e teve convidado o CVV, maior rede de apoio emocional que existe no Brasil.

“Estamos presentes em todos os estados, oferecemos um serviço gratuito, funcionamos através de voluntários e atendemos  qualquer pessoa que esteja passando por um momento difícil na vida”, explicou a psicóloga Gisele. Em Alagoas o CVV atende através do número 188.

A Organização Não Governamental (ONG) é parceira do Ministério da Saúde e tem como base o não julgamento. “Somos livres de preconceito e temos como princípios a acolhida e empatia do ser humano”, falou a voluntária. Durante o Fórum ela “cutucou” as conexões que a população tem hoje com as redes sociais e a falta de conexão consigo mesmo.

“Falta sentido na própria existência porque as pessoas não olham para si, não se auto conhecem, não dão valor ao que realmente importa e não priorizam relações de qualidades”, lamentou Gisele.

E é justamente para estudar maneiras de intervir nesse público que o Fórum, realizado pela Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Saúde,  acontece. “Nós discutimos a atuação e qualificação da Rede de Atenção Psicossocial e Mental do município”, afirmou a psicóloga e coordenadora do Fórum,  Clédja Maria Rocha.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados