Estudantes da Ufal são premiados pela Sociedade Brasileira de Química

Trabalhos de mestrado e graduação foram reconhecidos como os melhores painéis apresentados

Estudantes da Ufal são premiados pela Sociedade Brasileira de Química

Trabalhos de mestrado e graduação foram reconhecidos como os melhores painéis apresentados

Por | Edição do dia 1 de julho de 2016
Categoria: Blog, Educação, Notícias | Tags: ,,,


Estudantes do Instituto de Química e Biotecnologia (IQB) da Ufal conquistaram expressivos resultados com apresentação de pesquisas durante a 39ª Reunião da Sociedade Brasileira de Química (SBQ), realizada no início deste mês, em Goiânia (GO), colocando mais uma vez em evidência a graduação e o programa de pós do instituto.

Com o trabalho “Nanobastões de ouro e seus efeitos em mitocôndrias isoladas de fígado de ratos”, o aluno de mestrado, Abner Nunes, recebeu o prêmio de melhor painel na área de Química Biológica. Nessa categoria de apresentação, houve cerca de 900 trabalhos inscritos, sendo 25 deles premiados em diferentes áreas.

“Esse reconhecimento vindo da SBQ gera um sentimento de dever cumprido, mesmo que o trabalho ainda não tenha sido finalizado. O prêmio, além de trazer uma grande satisfação pessoal, contribui também para a construção da nossa carreira acadêmica”, comemora o mestrando que reconhece o apoio dos docentes do Instituto para conquista da premiação. “Os tão almejados resultados positivos da pesquisa nem sempre vêm na mesma velocidade que nossos sonhos planejam. Fico muito contente com a premiação e ressalto que não é possível fazer ciência sozinho. Esse prêmio é fruto de um grande trabalho em equipe evolvendo orientadores e alunos”, afirma.

 

O estudo apresentado por Abner tem como objetivo a busca por novas terapias mais efetivas para o tratamento do câncer e que causem menos efeitos indesejáveis. “Atualmente, os meios disponíveis são capazes de afetar tanto células tumorais malignas como células normais. A literatura já tem reportado que nanopartículas de ouro, na forma de bastões, possuem um efeito anticancerígeno seletivo, pois elas foram capazes de matar células doentes sem causar danos significativos nas saudáveis”, diz o estudante que conta com a orientação do docente Mario Roberto Meneghetti, e a coorientação das professoras Ana Catarina Leite e Monique da Silva.

Segundo o mestrando, o efeito dessas “nanos” está relacionado à interação com a mitocôndria, que é a principal organela responsável pela síntese de energia na célula, mas nada se sabe ainda sobre seu real mecanismo de ação. “O nosso trabalho se propõe a sintetizar essas nanopartículas de ouro e investigar o seu efeito na energética mitocondrial a fim de desvendar o mecanismo pelo qual elas interagem com a mitocôndria”, esclarece.

Outro trabalho premiado

A estudante de graduação em Química Licenciatura, Thamilla Maciel, também conquistou premiação durante a reunião da SBQ. Ela foi premiada na categoria de apresentação Melhor Painel com o trabalho“Avaliação do sítio de ligação e a influência da glicose e íons cálcio no processo de interação entre tetraciclina e proteínas carreadoras”.

“Mesmo tendo em mente que a motivação é algo que vem do interior de cada pessoa, esse reconhecimento vem para me estimular a ser melhor no que faço e confirmar que estou indo pelo caminho certo”, enfatiza Thamilla.

Com orientação do professor Josué Carinhanha Santos, a graduanda, que é vinculada ao programa de iniciação científica, apresentou dados obtidos da pesquisa sobre tetraciclinas, antibióticos de largo espectro bacteriano amplamente usados na medicina humana.

Conforme explica a aluna, já existem alguns estudos sobre a interação desses medicamentos com a albumina do soro humano e bovino (HSA e BSA), mas ainda não há clareza sobre o local (sítio) preferencial de ligação da tetraciclina nas proteínas transportadoras (HSA e BSA). A pesquisa se direciona justamente para preencher essa lacuna. “Uma vez que a afinidade dessa ligação afeta a distribuição total, o metabolismo e a eficácia de muitos medicamentos, o objetivo do trabalho foi avaliar o sítio de ligação preferencial para a tetraciclina frente a HSA e BSA, além de verificar a influência de glicose e dos íons cálcio nos parâmetros de interação”, detalha.

Ainda segundo Thamilla, o sítio preferencial de ligação e a intensidade podem ser afetados pela presença de outros compostos já existentes no organismo ou ingeridos (a exemplo de fármacos, corantes, etc), já que a principal função das proteínas é o transporte destes composto no plasma.

O estudo já obteve resultados e um deles é a conclusão de que a tetraciclina se liga ao sítio I da HSA e BSA. Outra observação constatada pelo estudo da aluna foi de que a presença de íons cálcio e glicose não altera o sítio de ligação, contudo mudam a intensidade da interação e aspectos estruturais das proteínas transportadoras. “Como a intensidade da ligação fármaco – proteína influencia no quanto do medicamento que vai chegar ao local-alvo, isso poderá afetar a eficácia da droga medicamentosa”, esclarece.

Mais pesquisas apresentadas durante a SBQ

Além dos trabalhos de Abner Nunes e Thamilla Maciel, quatro pesquisas realizadas por estudantes de pós-graduação do IQB foram apresentadas durante a Reunião da Sociedade Brasileira de Química.

Thatiane dos Santos (área de Catálise), João César Santos (Química Analítica), Thaissa Lúcio Silva (Eletroquímica e Eletroanalítica) e Ana Carolina de Lyra (Química de Bebidas e Alimentos) fizeram apresentações orais de seus estudos em diferentes sessões.

“O IQB teve uma participação muito expressiva no evento, o que demonstra a qualidade dos trabalhos produzidos no nosso Instituto”, comemora a coordenadora do Curso de Química Bacharelado, Isis Figueiredo.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados