Estudante de artes foi morta por traficantes, conclui Polícia do Rio

O desaparecimento da estudante teve repercussão no ano passado, e a polícia já tinha confirmado que Matheusa havia sido assassinada

Por | Edição do dia 7 de janeiro de 2019
Categoria: Notícias, Polícia | Tags: ,,,,,


Segundo a Polícia Civil, Matheusa foi morta depois de ter saído de uma festa no dia 29 de abril (Internet)

Segundo a Polícia Civil, Matheusa foi morta depois de ter saído de uma festa no dia 29 de abril (Internet)

A estudante de artes visuais Matheusa Passarelli Simões Vieira foi morta por traficantes do Morro do Dezoito, na zona norte do Rio de Janeiro. Esta foi a conclusão do inquérito instaurado em maio do ano passado pela Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) para apurar seu desaparecimento.

O desaparecimento da estudante teve repercussão no ano passado, e a polícia já tinha confirmado que Matheusa havia sido assassinada. Matheus se identificava como Matheusa por ser uma pessoa de gênero não binário, o que significa que ela não se considerava completamente do gênero masculino nem do feminino.

Em nota, a Polícia Civil do Rio de Janeiro disse que a estudante foi capturada por traficantes em 29 de abril, depois de ter saído de uma festa “completamente desorientada”.

Matheusa chegou à comunidade sem roupa e discutiu com traficantes. Segundo o inquérito, ela tentou pegar a arma de um deles e foi alvejada. Seu corpo foi ocultado após o crime.

Dois traficantes respondem pelo assassinato e ocultação de cadáver e tiveram a prisão preventiva decretada pela juíza Viviane Ramos de Faria, da 1ª Vara Criminal. Eles são Genilson Madson Dias Pereira, o GG, e Messias Gomes Teixeira, o Feio, que seria chefe do tráfico no “Dezoito”.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados