Escolas particulares suspendem aulas por casos suspeitos da Covid-19

Ao menos dois estudantes já apresentaram os sintomas

Escolas particulares suspendem aulas por casos suspeitos da Covid-19

Ao menos dois estudantes já apresentaram os sintomas

Por Redação | Edição do dia 5 de fevereiro de 2021
Categoria: Coronavírus | Tags: ,,,,,,


Foto: Reprodução

Logo na primeira semana de retorno às aulas presenciais em Maceió, a aparição de sintomas semelhantes aos da COVID-19 entre os alunos fez os diretores e responsáveis recuarem quanto à manutenção dessa modalidade de ensino. Voltar a ter aula presencial foi uma discussão levantada e amplamente defendida pelos donos de instituições de ensino, mesmo contra a orientação dos órgãos de saúde.

O primeiro caso suspeito apareceu no SEB, localizado na Jatiúca. A escola emitiu um comunicado que um aluno do 8º ano do ensino Fundamental apresentou sintomas compatíveis com os causados pelo novo coronavírus. Diante desse cenário, a instituição decidiu suspender as aulas presenciais da turma por 14 dias, ou até o dia que sair o resultado do teste.

 

Em nota, a assessoria da instituição informou que seguiu todos os protocolos de segurança da Consultoria Einstein e que nenhum caso foi confirmado, mas por precaução, os estudantes foram dispensados.

Confira a nota na íntegra: 

A Escola SEB Maceió informa que seguiu todas as recomendações previstas no protocolo de segurança da Consultoria Einstein. Nenhum caso foi confirmado dentro da unidade e por precaução os estudantes que tiveram contato com pessoas positivadas para Covid-19 foram dispensados e não haverá prejuízos pedagógicos a estes estudantes, já que as aulas estão ocorrendo remotamente.

A Escola SEB Maceió reforça seu comprometimento em garantir um ambiente seguro para alunos, educadores e famílias, investindo em equipamentos de segurança e seguindo todas as recomendações sanitárias.

Direção Escola SEB Maceió

O segundo caso foi no colégio Santa Úrsula, no mesmo bairro. Um estudante também apresentou sintomas da Covid-19 e as aulas tiveram que ser suspensas pela instituição.

De acordo com a assessoria da escola, o aluno que apresentou os sintomas é do ensino médio e realizou o teste para a doença, testando negativo para Covid no início da manhã desta sexta (5).

O colégio também informou que todos os alunos e funcionários seguem um protocolo de distanciamento e utilizam as máscaras de proteção.

De acordo com Eduardo Vasconcelos, presidente do Sindicato dos Professores do Estado de Alagoas (Sinpro/AL), apesar de só essas duas instituições divulgarem publicamente, a entidade já recebeu denúncia de outras escolas que também já possuem casos.

“Algumas escolas estão seguindo rigorosamente o protocolo sanitário, mas outras estão aglomerando, colocando muitos alunos no mesmo espaço. A gente denunciou ao Procon problemas de escolas que não tinham os equipamentos necessários, como álcool em gel”, alertou o presidente.

Eduardo Vasconcelos em entrevista. Foto: Sandro Lins

O representante disse ainda que o Sindicato está em contato constante com o Poder Público, para que a fiscalização seja feita de forma mais rígida.

“Ou se adequa todo mundo, ou há uma possibilidade grande de recuo das aulas presenciais para o fechamento das escolas outra vez”, completou.

Protestos para reabertura das escolas

Mesmo em meio a primeira fase da pandemia, diretores e donos de escolas fizeram um protesto em julho do ano passado, solicitando a retomada das atividades. Aconteceram também algumas manifestações organizadas por pais de alunos, que pediam o retorno das aulas.

Crianças e responsáveis em protestos no corredor Vera Arruda, parte baixa da capital. Foto: Reprodução

Em meio ao risco de contaminação e a falta de imunizantes, o governo do estado vetou o retorno das aulas presenciais.  Alagoas liberou a retomada dos encontros presenciais apenas no início desta semana, no dia 1° de fevereiro.

 

Atualizado em: 05/02/2021 as 21h28 para o posicionamento das instituições de ensino citadas.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados