Escola da Rede estadual cria sistema de reaproveitamento da água da chuva

Medida estimula consciência ambiental e práticas sustentáveis entre os estudantes

Escola da Rede estadual cria sistema de reaproveitamento da água da chuva

Medida estimula consciência ambiental e práticas sustentáveis entre os estudantes

Por Beatriz Rodrigues | Edição do dia 23 de agosto de 2021
Categoria: Educação, Meio Ambiente | Tags: ,,,,


Economizar, reciclar e reutilizar. Essas são as três palavrinhas mágicas que podem nos ajudar a conservar o meio ambiente. E foi pensando exatamente na questão ambiental que a Escola Estadual Pedro Joaquim de Jesus, no município de Teotônio Vilela, desenvolveu um sistema que reaproveita a água da chuva e é utilizado para economizar água na unidade.

Para dar vida a ideia e buscar soluções inovadoras, Fátima Pimentel, gestora da unidade, contou com a ajuda do seu filho Ângelo Pimentel, que é engenheiro ambiental, e de toda comunidade escolar. “Nós vimos que quando chovia o colégio ficava cheio de água, um desperdício. Pensamos: isso poderia ser melhor aproveitado. Daí tivemos a ideia de criar um sistema que pudesse guardar toda a água da chuva que caia sob a escola”, explica a gestora.

No local, calhas de alumínio foram instaladas para receber a água da chuva que escoava para um ponto só. Todo o volume antes com destino ao pátio do colégio, hoje é desviado pelos canos e se concentra nos cinco pontos de captação das águas pluviais.

As cinco cisternas têm o objetivo de garantir a reserva de água que será destinada a tarefas de limpeza da unidade. Cerca de 16 espaços são higienizados com essa água, além da vegetação da unidade que deve ser irrigada por esse reservatório. O município fica em uma região privilegiada, que chove com abundância, garantindo água o suficiente para suprir as demandas da escola.

“Cada reservatório desse tem capacidade para 5 mil litros, e como são 5, temos 25 mil litros de água que são destinados exclusivamente para essas atividades. A companhia de água pode ficar tranquila que o consumo aqui da Pedro Joaquim de Jesus deve diminuir significativamente a partir de agora.” ressalta a gestora.

As inovações não param por aí, Fátima está tentando adaptar as cisternas para que todas as descargas da escola possam ser da água da chuva, sem comprometer a rede de água da companhia do município. “Estamos tentando se encaixar nas normas para que todo o processo seja legal e não agrida o meio ambiente, mas o próximo passo, é utilizar essa água também nos banheiros”, completa.

Essa não é a primeira iniciativa ecológica da gestão de Fatima Pimentel na unidade. Todos os lixeiros presentes são separados por material e os alunos são orientados a separar os lixos de acordo com sua composição: metal, vidro, papel e plástico. Os resíduos são encaminhados à fábrica de papel para que seja feita a reciclagem de parte dos materiais.

E se dar o exemplo é a melhor forma de ensinar, os estudantes da Escola Pedro Joaquim de Jesus têm dentro da própria instituição o estímulo à consciência ambiental e práticas sustentáveis. “Acho muito importante ações como essa. Estamos reaproveitando algo que seria inutilizado, evitando o desperdício e dando sentido à palavra reutilizar, tão essencial nos dias de hoje. Nossa escola serve como exemplo. Quem sabe nós não podemos fazer o mesmo em nossas casas?”, comenta Kemilly Souza, aluna do 2º ano do Ensino Médio.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados