Empresário conhecido por denunciar políticos é morto em Rio Largo

Kleber Malaquias de Oliveira, 41, foi morto a tiros nesta quarta-feira, 15, em um bar do município de Rio Largo

Empresário conhecido por denunciar políticos é morto em Rio Largo

Kleber Malaquias de Oliveira, 41, foi morto a tiros nesta quarta-feira, 15, em um bar do município de Rio Largo

Por Redação* | Edição do dia 16 de julho de 2020
Categoria: Notícias, Polícia | Tags: ,,,


Foto: Reprodução / Cada Minuto

O empresário Kleber Malaquias de Oliveira, 41, foi morto na tarde de ontem, 15, dentro de um bar no centro de Rio Largo, município onde residia. Ele foi surpreendido a tiros no banheiro do local por um sujeito ainda não identificado. Malaquias era conhecido por fazer denúncias contra políticos e figuras públicas.

De acordo com o relatório do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), Kleber Malaquias comemorava seu aniversário na companhia de três amigos em um estabelecimento conhecido como “Bar da Buchada”.

Quando a vítima se dirigiu ao banheiro, dois indivíduos, não identificados, que também estavam no bar, o acompanharam. Um deles disparou três tiros contra Malaquias e um dos disparos atingiu a cabeça da vítima. Em seguida, os acusados fugiram no local.

Uma equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve no bar, mas, como a vítima já havia falecido, o óbito foi confirmado.

No local também estiveram equipes do 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM), que colheu informações sobre como ocorreu o crime; equipes da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP); do Instituto de Criminalística (IC) e do Instituto Médico Legal (IML).

Histórico da vítima

Kleber Malaquias já realizou denúncias contra o atual prefeito de Rio Largo, Gilberto Gonçalves e o ex-gestor do município, Toninho Lins. Ele também já denunciou o ex-prefeito de Marechal Deodoro, Cristiano Matheus e o desembargador do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), Washington Luiz Damasceno Freitas, que resultou no afastamento do desembargador por cerca de dois anos, devido a acusações de um esquema conhecido como “máfia da merenda”.

Em setembro do ano passado, Malaquias registrou Boletim de Ocorrência (B.O.) na Central de Flagrantes I, em Maceió, onde afirmou que havia sido sequestrado, torturado e ameaçado de morte sob a mira de uma pistola em Rio Largo. Na ocasião ele ainda afirmou que os acusados filmaram as agressões e que o crime teria ocorrido por motivação política.

 

*Com informações da Gazetaweb e Cada Minuto.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados