Em primeiro clássico, CSA não reage, leva 2 a 0 do CRB e demite Eduardo Baptista

Por Thiago Luiz | Edição do dia 30 de agosto de 2020
Categoria: Esportes, Futebol Alagoano


No primeiro Clássico das Multidões pela Série B de 2020, CSA e CRB se enfrentaram em situações diferentes. O Galo estava na boa, embalado de uma sequência de resultados positivos. Já o Azulão chegava pressionado e com a comissão técnica “balançando”. Dando sequência à boa fase, o time comandado por Marcelo Cabo venceu por 2 a 0, sem sentir uma reação do adversário.

Já na escalação, o técnico Eduardo Baptista foi muito criticado por começar com Alecsandro e Leandro Souza. Em sua defesa, o treinador afirmou que montou o time de acordo com as condições físicas dos atletas. Vale lembrar que o Azulão teve 21 jogadores infectados pelo novo coronavírus.

Quem começou pressionando foi o time marujo. Com faltas e finalizações sem perigo, a equipe azulina ia tentando ditar o ritmo do jogo. Mas logo aos 15 minutos, o banho de água fria.

Depois da defesa azulina “bater cabeça”, o lateral-direito Reginaldo aproveitou a bobeira, tocou na saída de Bruno Grassi e abriu o placar para o CRB.

Lateral Reginaldo marcou seu primeiro gol com a camisa do CRB e provocou adversário com gesto de “chororô”. Foto: Gustavo Henrique/ Ascom CRB

Só aos 27, Norberto respondeu pro CSA. Os dois laterais do Galo não se decidiram sobre o que fazer com a redonda, o jogador azulino bateu forte, mas parou na boa defesa de Victor Souza.

O placar obrigou o time marujo a sair pro jogo, mas corria o risco de sofrer com o contra-ataque regatiano.

E aos 43, já no fim da primeira etapa, Luidy trocou passes com Igor Cariús, recebeu na cara do gol e mandou por entre as pernas de Grassi.

Logo no início da segunda etapa, após mais uma confusão da zaga azulina, a bola sobrou para Magno Cruz na linha da pequena área. Sem impedimento, o atacante do Galo isolou, perdendo uma grande chance de ampliar o marcador.

Vendo a movimentação do jogo, Eduardo Baptista começou a fazer alterações para não deixar cair ainda mais o ritmo de sua equipe.

Enquanto isso, Marcelo Cabo fez uma dobra de laterais. Lucas Mendes foi fazer a função de ala e Reginaldo subiu para jogar como ponta. Dudu entrou no lugar de Magno Cruz.

Daí em diante, o jogo foi mais estudado. Ninguém ousava muito. O CRB para poupar esforços, e o CSA para não se expor ainda mais.

Só aos 41 da etapa final, Diego Torres dividiu uma bola com Victor Silva dentro da área. O árbitro entendeu que houve falta e marcou a penalidade. Mas quando a fase não é boa, nada colabora.

Alecsandro foi pra batida, tentou mandar no canto, mas Victor Souza apareceu mais uma vez. O goleirão do Galo espalmou a bola e a defensiva regatiana completou o corte. A quinta defesa do arqueiro em sete pênaltis cobrados.

Não deu tempo para mais nada. CRB 2, CSA 0. A derrota aumentou ainda mais o desconforto no Azulão. De imediato, o clube anunciou a demissão de Eduardo Baptista e de sua comissão técnica.

A gente sabia da importância do jogo, a gente fez um grande jogo, fico feliz por fazer o gol e ajudar a minha equipe”, disse o atacante do CRB e autor do segundo gol, Luidy.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados