Em noite dos goleiros, CRB vence o ASA nos pênaltis e vai fazer Clássico das Multidões na final do Estadual

Por Thiago Luiz - Estagiário | Edição do dia 3 de agosto de 2020
Categoria: Esportes, Futebol Alagoano


Galo até tentou nas jogadas individuais, mas parou nas grandes defesas de Deola. Foto: Gustavo Henrique/Ascom CRB

No sufoco. Assim foi a classificação do CRB para a grande final do Campeonato Alagoano. Diante do ASA, na noite dessa segunda-feira (3), no Rei Pelé, o Galo não conseguiu marcar no tempo regulamentar e avançou na decisão por pênaltis. O nome da noite, em uma partida de pouca produtividade, foi o goleiro Victor Souza. Das quatro cobranças perdidas pelo alvinegro, o goleirão pegou duas.

No tempo regulamentar, Deola, goleiro do ASA foi o grande nome. Com pelo menos três defesas difíceis, o paredão de Arapiraca evitou chances claras de gols do CRB.

O jogo

O primeiro tempo começou agitado. Os dois times apostando na velocidade dos seus ataques, mas sem muita efetividade.

Quando o CRB chegou, foi justamente na jogada individual do Erik, que achou o Diego Torres, mas parou na defesa de Deola com os pés.

O ASA respondeu no chute de Jaquinha, da entrada da área, que bateu forte, mas pra fora.

A partida foi ficando pegado e a equipe de Arapiraca cometendo muitas faltas. Do outro lado, o CRB errava muitos passes.

O Galo apostava também no jogo aéreo, sempre procurando o Léo Gamalho. Mas foi o Magno Cruz que, depois do cruzamento, teve o lance de maior perigo pelo lado regatiano. Só que o Deola se esticou todo e espalmou a bola com a ponta dos dedos. Na cobrança do escanteio, Ewerton Páscoa subiu sozinho e também não conseguiu mandar pro gol.

Na segunda etapa, logo aos 5 minutos, uma queda de energia interrompeu a partida por quase 10 minutos.

Quando a bola voltou a rolar, o Galo conseguiu pressionar, mas não convertia a pressão em gols. Primeiro, o Diego Torres dominou nas costas da defesa. Na hora de finalizar, isolou. Depois Magno Cruz recebeu um bom passe de Léo Gamalho, mas também mandou longe.

Só aos 26 minutos, de fora da área, o Erik arriscou e mandou no travessão. Insatisfeito com a falta de produção do setor de ataque, o técnico Marcelo Cabo tirou Carlos Jatobá e colocou Thiaguinho, Felipe Menezes entrou no lugar de Diego Torres e Magno Cruz deu lugar a Luidy.

Aos 36 foi a vez do camisa 10 do ASA, na bola parada, colocar o Victor Souza para trabalhar.

Ainda deu tempo do time de Arapiraca ficar com um a menos. Depois de cometer falta, o lateral Jaquinha deu um chutão. Tomou o segundo cartão amarelo e foi embora mais cedo.

Num passe do Thiaguinho que achou o Igor Cariús, de frente para o gol, o lateral do Galo encheu o pé, mas outra vez o Deola fez uma grande defesa.

No fim do jogo, Marcelo Cabo foi para o tudo ou nada. Tirou o lateral Lucas Mendes e colocou o atacante João Carlos. Com a alteração, o treinador mandou o time todo para o setor ofensivo. Mesmo assim, de nada adiantou. No tempo regulamentar, nada de gols.

Na disputa de pênaltis, o CRB venceu por 3 a 1. Léo Gamalho, João Carlos e Felipe Menezes converteram para o Galo. Léo Cearense foi o único a marcar para o ASA. Duas defesas de Victor Souza garantiram a classificação do Regatas.

Numa noite de muita inspiração e de um grande duelo entre os goleiros, o arqueiro do Galo deixou o recado para a torcida regatiana.

“Torçam por nós. Vamos lutar com unhas e dentes por esse título. Vai ser um grande jogo”, disse o goleiro Victor Souza.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados