Em áudios vazados, Argel Fuchs detona novo executivo de futebol do CSA: “pilantra, vagabundo”

Por Thiago Luiz | Edição do dia 21 de setembro de 2020
Categoria: Esportes, Futebol Alagoano | Tags: ,,,,,


Argel não poupou xingamentos e acusações a Pastana. Foto: Augusto Oliveira/Ascom CSA

Mesmo já estando demitido do cargo de técnico do CSA desde o fim da noite da última quinta-feira, Argel Fuchs protagonizou mais um episódio que envolve o clube marujo. Em áudios supostamente vazados em conversa com o presidente Rafael Tenório e outro em um grupo de treinadores, Argel não poupou esforços para detonar o novo Executivo de Futebol, Rodrigo Pastana. As mensagens de voz começaram a circular durante a noite desse domingo (20).

Fuchs e Pastana já trabalharam juntos no Figueirense e também no Coritiba. E na mensagem encaminhada a Rafael Tenório, ele agradece por ter sido demitido antes da contratação do novo dirigente.

“Quero agradecer por ter me mandado embora. Porque eu trabalhar com esse vagabundo do Pastana… esse cara é o maior pilantra que tem no meio do futebol. Tive um problema muito sério com esse rapaz lá em Curitiba. Eu gosto muito do senhor, cuidado com o seu bolso. Porque esse cara é ladrão, toma dinheiro de empresário, de jogador. O senhor contratou uma raposa para tomar conta das galinhas. Então abre o olho. Se eu soubesse que ele era o diretor,  o senhor nem precisava me mandar embora, porque eu mesmo ia pegar minhas coisas para ir. Só quero fazer um acerto justo e mais nada. Vida que segue. O maior pilantra que tá no meio do futebol é esse tal de Rodrigo Pastana”, disse Argel ao presidente azulino.

Já em um grupo de WhatsApp que reúne vários treinadores do Brasil inteiro, Fuchs alegou que tinha deixado o CSA pela contratação do executivo e alertou aos colegas que tomassem cuidado, caso trabalhassem junto a Pastana.

Experiente, cascudo e polêmico. Esse é Rodrigo Pastana. Foto: Divulgação/Coritiba

“Eu não trabalho com vagabundo, com diretor executivo que leva dinheiro de jogador, que faz esquema com empresário. Eu não compactuo com isso. E o CSA contratou um diretor que eu já tive problemas. Eu acabei me liberando, mas eu queria deixar isso registrado aqui, até porque um de vocês vai trabalhar com esse diretor e certamente outros já tiveram o desprazer de trabalhar com esse cara. Ele é um mal para o futebol. Ele já teve problema com vários companheiros nossos e comigo no Figueirense e no Coritiba, então a gente precisa saber quem são os diretores pilantras. Ele é o número um. Bandido, vagabundo e sem vergonha”.

Além de Fuchs, Rodrigo Pastana já se envolveu em outras polêmicas em clubes que já dirigiu. O cartola responde por improbidade administrativa no Grêmio Barueri, num processo de 2006. Brigou com o vice-presidente do Figueirense, Rodrigo Passoni, por ser acusado de “excesso de poder” e rebateu chamando Passoni de covarde.

Problemas de relacionamento com a torcida, jogadores e empresário de diversos clubes. Ainda nesse ano, Pastana se envolveu em uma confusão com o meia Jadson, ex-Corinthians. O executivo afirmou à imprensa que não contratou o atleta para o Coxa porque o falta interesse nos treinamentos. Em contrapartida, o jogador rebateu e prometeu acionar o dirigente na justiça: “As medidas legais serão tomada, civil e criminalmente, cabendo ressaltar que o Sr. Pastana ao declarar que nas duas últimas temporadas o Jadson pouco fez, mostra seu desconhecimento do futebol, pois foram 65 jogos como titular do Corinthians, 16 gols e 14 assistências, além de dois títulos”.

No CSA, Pastana já deu a primeira demonstração de imposição. Ao indicar o nome do técnico Mozart Santos para assumir a equipe, a repercussão da torcida e de parte da diretoria foi muito negativa. Bancando a contratação, o executivo afirmou que a responsabilidade pelo trabalho do comandante técnico é dele, e pediu “espaço para trabalhar”.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados