Educador Físico proporciona mudanças em município do Paraná

Projeto “Um chute para o futuro” visa tirar crianças das ruas

Por | Edição do dia 15 de dezembro de 2015
Categoria: Artigos, Blog Esportes | Tags: ,


4e4ac2_fed768c95cc840fd849c996dc3f73133

Ronaldo Cáceres, idealizador do projeto “Um chute para o futuro” (Foto: internet)

O projeto “Um Chute para O Futuro”, existe desde 2004, o mesmo é destinado a crianças do bairro de Porto Belo município de Foz do Iguaçu, seu principal objetivo é tirar as crianças dos perigos das ruas e dar a oportunidade de um ambiente educador.

A região de Foz do Iguaçu, conhecida como rota do tráfico é bastante, usada para a venda de ilícitos. No mês de Setembro, das quatorze pessoas presas, durante embarque no aeroporto, oito foram flagradas pela polícia federal, tentando viajar com diversos tipos de drogas.

O aliciamento acontece principalmente com os jovens, que são contratados para realizar este transporte para fora do país, por terra, as crianças são visadas para executar esse “trabalho” perigoso, muitas vezes sem volta. Devido a essa problemática, o professor de Educação Física Ronaldo Cáceres, decidiu colocar seu sonho em prática: “Em toda minha infância, eu tive vontade de desempenhar esse trabalho, de resgatar meninos das ruas, para que eles não se inserissem na criminalidade, por isso surgiu à ideia. A minha família sempre foi acolhedora, participativa e com eles aprendi a ser mais humano”, salienta.

O Motivo maior

O irmão de Ronaldo, que era envolvido com drogas ilícitas, morreu no ano de 2009. Com essa tragédia, o educador teve que buscar forças para poder seguir em frente: “Há seis anos perdi meu irmão para criminalidade, algo que eu não quero que aconteça com as crianças daqui. Minha mãe passou por situações que nenhuma mãe deve sofrer, de ver pessoas tentando violentar meu irmão, hoje as pessoas da minha equipe lutam contra isso” ressalta.

No início de tudo, Ronaldo teve que reunir as crianças em sua própria casa, logo após as atividades foram iniciadas em um chão de terra batida, com uma quantidade de dez crianças. Atualmente atende em um novo terreno cerca de 245 crianças, com a ajuda de colaboradores e voluntários. O local que hoje recebe as crianças foi reformado através do quadro “Um Por Todos, Todos Por Um”, do apresentador Luciano Huck.

 As crianças recebem acompanhamento, psicológico e pedagógico na brinquedoteca, além de aulas de inglês, música, artesanato, esportes, matemática, atendimentos a saúde e algumas oficinas pontuais.

A mãe do criador do projeto é considerada o braço direito, um dos suportes para que as atividades aconteçam, a cada dia que se passa. O professor vê na responsável pela preparação das refeições, um exemplo de superação, ao ser perguntando como é trabalhar ao lado de alguém especial Ronaldo disse “Ela é o projeto em si, muitas pessoas cansam, mas ela continua firme, apesar da quantidade de crianças que atendemos, mesmo com dores, ela serve por dia 175 refeições, faz um trabalho magnífico, eu coordeno o projeto juntamente com meus amigos, mas a minha mãe hoje eu posso dizer que em cada criança ela enxerga o meu irmão, o que ela não queria para ele, também não quer para esses meninos” enfatiza o coordenador.

O terreno que foi reformado pertencia a um traficante, o mesmo foi preso e o local foi a leilão, como existia toda uma energia negativa sobre o local, o início do projeto teve seguimento com algumas desconfianças, principalmente por ter sido usado para encontro de elementos perigosos.

“O terreno ainda está em comodato, o local não foi um lugar do bem, porque era usado para o tráfico de entorpecentes, portanto muitos moradores dos arredores, não gostavam do que era feito por lá, tanto que mesmo após o trabalho novo com as crianças, agente foi chamado de chefe dos bandidinhos” disse o entrevistado.

 O reconhecimento do trabalho

De fato existia um lado sombrio, rondando o local do projeto, foi necessária a presença de um quadro televisivo, para que as pessoas mudassem o conceito. Ronaldo hoje consegue manter viva uma ideia, que poderia ser pensada pelo governo ou órgãos responsáveis, não seria justo julgar somente Foz, o tráfico é um problema nacional, com grandes dificuldades de combate no país. Válido é ter em mente, uma maneira de brecar o perigo, com ações efetivas que possam suprir, a “carência” ocupacional da sociedade nos estados brasileiros, apesar do Brasil ter uma educação sucateada, só ela pode ser a ponte para o crescimento humano.

“A vinda do Luciano Huck mudou muito a visão dos moradores, os pais me procuram pra dar parabéns, outros para criticar, pois alguns não gostaram da mudança, havia um comodismo, agente está mudando essa realidade, no geral os pais vem agradecer, que se não fosse o projeto os filhos estariam na rua sem perspectivas, sem objetivos”.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados