Educação leva exposições artísticas virtuais para estudantes de Maceió

Objetivo é aproximar a arte dos alunos no período de pandemia

Educação leva exposições artísticas virtuais para estudantes de Maceió

Objetivo é aproximar a arte dos alunos no período de pandemia

Por Assessoria | Edição do dia 11 de julho de 2021
Categoria: Cultura, Educação, Maceió | Tags: ,,,


As exposições artísticas são uma forma dos alunos interagirem com a cultura e terem acesso a novas descobertas. Por isso, por meio do projeto Mandala Pró-Cultura, a Secretaria de Educação de Maceió realiza uma série de visitas virtuais a exposições culturais e artísticas, com o objetivo de proporcionar aos estudantes uma visão mais aprofundada da arte dentro de suas casas.

Durante a pandemia, já que as atividades presenciais não são possíveis, as plataformas online se tornaram aliadas nesse processo. As visitas são realizadas através das plataformas Google Meet e orientadas pelo monitor e curadores da exposição. De acordo com o responsável pelo setor de ação cultural, Tércio Smith, a ação é bastante positiva.

Turma do Fundamental durante visita online a uma exposição (Foto: Reprodução)

“Um projeto como esse a escola abraça, pois é uma atividade rica e que cria  a oportunidade do aluno ter um contato mais direto com a obra da arte. Dessa forma, eles acabam saindo um pouco da teoria e conseguem ter uma percepção mais aprofundada da arte, complementando o seu conhecimento”, disse.

A partir dessas experiências, os alunos puderam compreender melhor o poder da arte, como é o caso da aluna Maria Cassiana de Carvalho, da Educação para Jovens, Adultos e Idosos (Ejai). Durante a exibição de um filme, a estudante se identificou com o enredo da obra e se sentiu parte  daquele momento.

“A gente assistiu o filme Trincheiras, que foi escrito pelo alagoano Paulo Silva. Fiquei muito agradecida por assistir esse filme, pois me lembrei da época em que fiquei desempregada e tive de recomeçar a vida vendendo caldinho. O filme retratava justamente sobre recomeço e acho que todo o brasileiro deveria ver esse longa, pois é interessante em todas as suas nuances”, comentou.

Já a aluna Louise Vitória, de 11 anos, da Escola Pompeu Sarmento, teve a experiência de visitar uma exposição.

“Fomos para um museu online e tinham várias artes legais, onde todos faziam comentários e análises sobre o formato e as cores das obras. Só tinha ido presencialmente a um museu quando era pequena. Foi legal ver um pouco de arte durante a pandemia e eu, com certeza, iria novamente, pois gostei bastante”, conta Louise.

Professora Roberta Accioly durante debate da turma com artista

O projeto permite mostrar diversos pontos de interesse artístico-cultural e introduz os alunos a um novo tipo de visão sobre a arte. De acordo com  a Coordenadora da Escola Baltazar de Mendonça, Aberair Silveira Machado,  os alunos ficaram muito felizes com a experiência.

“Eles ficaram encantados com as obras e a explicação  de cada uma delas, comparando-as a suas vivências. Dificuldades sempre vão existir, o que diferencia é como será nossa postura frente às elas, e a arte ajuda nesse processo”, relatou a coordenadora.

O desenvolvimento do projeto contou com o apoio dos professores e professoras, que foram essenciais no processo de execução.

Professora Roberta Accioly durante debate da turma com artista (Foto: Reprodução)

“Quanto à exposição online, ela foi positiva no sentido de usar a tecnologia em favor da educação, entrando nos locais  e mostrando ao aluno que a arte é feita por pessoas normais. Isso também foi fantástico, pois os alunos de periferia, carentes, viram que a arte sempre surpreende e tem algo positivo para falar sobre sensibilidade e realidade de cada um”, explica a professora Roberta Acioly.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados