Eduardo Baptista diz que o CSA está pronto para o Clássico e minimiza derrota: “Jogo atípico”

Por Thiago Luiz - Estagiário | Edição do dia 30 de julho de 2020
Categoria: Esportes, Futebol Alagoano


Na derrota contra o ASA, pela retomada do Campeonato Alagoano, nessa quarta-feira (29), o técnico do CSA montou um time com oito jogadores considerados “reservas”. A aposta, apesar do resultado no placar, não gerou tanto prejuízo ao Azulão, que está com os dois pés na classificação.

De acordo com Eduardo Baptista, treinador do clube, a opção de mudança no time que começou jogando em Arapiraca foi de olho no calendário apertado. Só pelo Alagoano, se o CSA chegar até a final, vão ser quatro jogos com intervalos de apenas 48 horas entre as partidas.

Treinador destacou que equipe precisa de todos os jogadores pela maratona de jogos. Foto: Augusto Oliveira/Ascom CSA

O técnico afirmou que os jogadores escalados estavam treinando bem e, além de merecerem a oportunidade, foram importantes para que o time principal chegasse leve ao Clássico das Multidões, amanhã, no Rei Pelé.

Durante o jogo, o treinador azulino utilizou as cinco substituições para tentar correr atrás do placar, mas não teve jeito. Na avaliação de Eduardo, além das condições ruins do gramado do Fumeirão, os créditos ficaram ainda para o goleiro do ASA: “O Deola teve uma atuação muito boa, fez grandes defesas e impediu que a gente chegasse ao empate”.

O comandante do Azulão destacou ainda a desatenção da defesa que geraram os dois gols do adversário. Para ele, a equipe demorou a entender o jogo.

Eduardo e toda a sua comissão técnica praticamente não terão tempo para treinar, mas sabem que precisam corrigir os erros apresentados em Arapiraca, para desempenhar um bom futebol diante do rival CRB, nessa sexta-feira, às 20h, no Rei Pelé.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados