Edifício na Jatiúca incomoda o sossego dos moradores

A síndica do Edificio Lotus, Camila Valença prometeu tomar todas as providências

Edifício na Jatiúca incomoda o sossego dos moradores

A síndica do Edificio Lotus, Camila Valença prometeu tomar todas as providências

Por Redação* | Edição do dia 12 de março de 2021
Categoria: Alagoas, Notícias


O Le Monde Empresarial recebeu na última quinta-feira (11), por volta de 22h40, uma guarnição da Polícia Militar para constatar o excesso de barulho com as obras dentro do edifício.
Moradores de prédios vizinhos já denunciaram, por mais de uma vez, o descumprimento da Lei do Silêncio por parte do empresarial. O local começaria com obras desde o fim da tarde, às 17h e seguiria com elas pela madrugada incomodando a vizinhança.

“O Le Monde é o exemplo da irresponsabilidade e da impunidade ao permitir obras que ultrapassam todos os limites de produção de sons, a partir das 18h, sem qualquer controle, de maneira recorrente, até altas horas com uso de britadeiras, makitas, plainas, martelos e lixadeiras” diz Agostinho Vale, morador de um prédio vizinho ao empresarial. Ele que fez a denúncia através do 190.

Outros moradores do prédio, localizado em frente ao denunciado, dizem a mesma coisa. “Isto aqui é uma sinfonia dos infernos que enloquecem nosso juízo com essa zoada sem fim bem na hora que chegamos do trabalho e queremos algum sossego para descansar. Temos gente doente que se recupera em casa e ficam submetidos a este desmando. Uma falta de respeito completa”, afirma Anacleta de Carvalho, servidora pública. Ela conta ainda que já pensou em se mudar por causa da barulheira.

Silêncio total

Com a presença da guarnição da Polícia Militar no local, todas as obras no edifício foram paralisadas e a vizinhança pôde ter uma noite de paz.
“A policial foi bem enfática e me disse: se as obras continuarem a trazer o desassossego dos moradores da próxima vez que viermos aqui vai todo mundo para a delegacia”. Foi o que disse o porteiro da administradora do Empresarial, a Ferreira Hora. Ele preferiu não se identificar.
Prefeitura
A Secretaria de Desenvolvimento Territorial de Maceió informou que o setor responsável vai fazer uma fiscalização no local assim que receber a denúncia oficial. “Maceió não pode conviver com obras irregulares que atentam contra o bem-estar do cidadão” afirmou o professor e secretário da pasta, Pedro Vieira.
Ele disse ainda que nenhuma obra pode produzir decibéis acima do permitido e que a lei será aplicada em todos os casos.

Outro lado

Tentamos contato com os responsáveis pelo Condomínio do Edifício Le Monde Empresarial mas até o fechamento dessa matéria, não obtivemos resposta.

O Crea

A entidade fiscalizadora informa que “todos os profissionais de engenharia devem cumprir as normas técnicas e nenhuma obra pode ser executada sem um engenheiro responsável que tem por obrigação, entre outras responsabilidades, impedir o incômodo de qualquer natureza no entorno da reforma ou construção, usando todo tipo de proteção, inclusive, abafadores” diz a entidade que representa os Engenheiros e Agrônomos em seu site.

Já para o presidente do Clube de Engenharia, Aluísio Ferreira, “os profissionais não podem se submeter a executar uma obra sem a devida proteção no entorno por que os proprietários querem economizar a compra destes insumos. Isso arranha a imagem do profissional que se aceitar esta condição pode vir a responder processo. Portanto, tudo leva a crer que são obras clandestinas pois um engenheiro vai lutar, sempre, para mitigar qualquer dano ao entorno da obra da qual é responsável” afirma Aluísio.

A síndica do Edificio Lotus, Camila Valença, foi informada pelo administrador Wanderley da situação e prometeu tomar todas as providências que o caso exige, inclusive, convocando o departamento jurídico.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados