É falsa a informação de que HGE registrou óbito de idosa cardíaca como Covid-19

Hospital apenas orientou que o sepultamento deve seguir as orientações do Ministério da Saúde sobre o manejo de corpos no contexto da pandemia

É falsa a informação de que HGE registrou óbito de idosa cardíaca como Covid-19

Hospital apenas orientou que o sepultamento deve seguir as orientações do Ministério da Saúde sobre o manejo de corpos no contexto da pandemia

Por Agência Alagoas | Edição do dia 29 de abril de 2020
Categoria: Coronavírus | Tags: ,,,


Agência Alagoas

Circulam nas redes sociais vídeos onde uma mulher alega que a causa da morte de sua mãe, uma idosa de 61 anos falecida em decorrência de problemas cardíacos, teria sido divulgada erroneamente pelo Hospital Geral do Estado (HGE) como sendo o novo coronavírus. Mas essa informação não é verdadeira. O HGE não divulgou que morte foi causada por complicação da Covid-19, mas orientou, sim, que o protocolo de sepultamento deve seguir as orientações do Ministério da Saúde referentes ao manejo de corpos no contexto da pandemia.

Em dois vídeos compartilhados, a mulher fala que uma funcionária do hospital seria a responsável por escrever que o óbito teria sido causado pelo vírus. “Eu segui ela e ela entrou na fila onde estavam os corpos, chegou em cima do corpo da minha mão e botou, escrito à mão, como Covid-19”, disse a mulher, que apresentou a certidão de óbito nas imagens – o documento registra que a morte decorreu de complicações dos problemas no coração da vítima.

Em nota, o HGE reafirma que a paciente não faleceu em decorrência do novo coronavírus, nem mesmo era considerada um caso suspeito. “O Hospital Geral do Estado (HGE) esclarece que a declaração de óbito da usuária Petrúcia Maria da Silva, de 61 anos, falecida no último dia 26, às 22h, não recebeu diagnóstico de Covid-19. Entretanto, conforme as orientações do Ministério da Saúde, os cuidados para sepultamento devem seguir as recomendações referentes ao manejo de corpos no contexto do novo coronavírus”, explica a nota.

Ainda conforme o último Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulgado nesta terça-feira (28), não há registro, até o presente momento, de óbito de nenhuma pessoa com 61 anos por Covid-19 em Alagoas.

Quanto aos velórios e enterros, a Prefeitura de Maceió disciplinou, no decreto (Nº 8.853), de 23 de março de 2020, quais as medidas que devem ser tomadas em cada caso. O sepultamento das mortes confirmadas ou em investigação por causa do coronavírus deve ter a duração máxima de uma hora por velório e enterro, com o caixão fechado e limite de dez pessoas.

Já no caso de óbitos com outras causas, a duração máxima deve ser de três horas, contando com, no máximo, 20 pessoas. Os idosos com mais de 60 anos, as pessoas com doenças crônicas e casos suspeitos de ter contraído coronavírus não devem comparecer ao cemitério.

Alagoas Sem Fake

Com foco no combate à desinformação, a editoria Alagoas Sem Fake verifica, todos os dias, mensagens e conteúdos compartilhados, principalmente, em redes sociais sobre assuntos relacionados ao novo coronavírus em Alagoas. O cidadão poderá enviar mensagens, vídeos ou áudios a serem checados por meio do WhatsApp, no número: (82) 98161-5890.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados