, Sexta-Feira - 24 de Maio de 2019

 

‘Distribuir armas’ não resolve problema da violência, diz Marina Silva

Todo Segundo / 2:25 - 24/09/2018

Candidata da Rede disse que atentado contra Bolsonaro desmoralizou a ideia dele sobre o assunto


Marina Silva foi entrevistada por Marcelo Lima na Rádio Vitório FM (Divulgação)

Em sua vista ao Estado de Alagoas, nesta segunda-feira (24), a candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, voltou a criticar a proposta de armar a população brasileira, uma das bandeiras defendidas pelo candidato Jair Bolsonaro.

De acordo com ela, o atentado sofrido pelo candidato do PSL “desmoralizou” a proposta dele sobre o assunto. A declaração foi dada durante uma entrevista por telefone ao jornalista Marcelo Lima, da Rádio Vitório FM da cidade de Palmeira dos Índios.

“O povo brasileiro está indignado por conta o estelionatário cometido por Dilma e Temer. Fazer um discurso dizendo que vai resolver o problema da segurança entregando revólver às pessoas parece um caminho rápido. Nunca vi alguém dizer que vai governar para os mais fortes. Mesmo os que governam aos fortes dizem que vão governar aos mais fracos. Mas sei que as pessoas estão começando a colocar a mão na consciência e ver que a proposta do Bolsonaro foi desmoralizada em um ato contra ele mesmo”, disse.

Continuou: “ele tinha vários policiais armados em volta, segurança pessoal armado em volta. E uma pessoa com uma arma branca chegou e o atingiu em um ato trágico e inaceitável, graças a Deus não ocorreu uma desgraça porque era uma faca, se fosse uma arma de fogo, tinha acabado com a vida dele, ninguém vai resolver o problema da violência na base da força” – explicou.

Questionada por Marcelo Lima sobre o crescimento nas pesquisas de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, nas duas últimas semanas de campanha, Marina disse que é possível sim ir para o segundo turno, pois o voto só será definido no dia 7. “O povo brasileiro não pode aceitar que as pesquisas determinem o resultado das eleições, como ocorreu em 2014, onde acabou levando por essa situação que os brasileiros estão vivendo, com 13 milhões de desempregados” apontou.

A presidenciável participa de um ato público em Maceió nesta segunda-feira (24). A candidata irá se reunir com apoiadores e eleitores em frente ao antigo Produban, no Centro, em uma conversa para apresentar suas propostas de candidatura.


Comentar usando