Dificuldade na compra de roupas não limita estilo Plus Size

Pessoas com numeração maior mostram que podem se vestir bem e dão um chega pra lá no preconceito da sociedade

Dificuldade na compra de roupas não limita estilo Plus Size

Pessoas com numeração maior mostram que podem se vestir bem e dão um chega pra lá no preconceito da sociedade

Por | Edição do dia 3 de setembro de 2016
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags: ,,,,,,,,


Foto: Stampas Plussize

Foto: Stampas Plussize

Aceitação, empoderamento e quebra de padrões têm sido palavras-chaves para pessoas acima do peso que encontram dificuldades na compra de roupas. Em lojas populares esse fator é comum, mas quem usa o G, GG e modelagens maiores mostram que podem ultrapassar o obstáculo mantendo o estilo.
 
É quase um exercício diário de entender que não é necessário correr risco em nome de um padrão de beleza que não é pensado para o bem coletivo e levantar a bandeira da diversidade de formas que são reais. Porém, são passos determinantes para ir contra a indústria cultural.

Foto: arquivo pessoal

Foto: arquivo pessoal

Joelma Sena, 31 anos, servidora pública e estudante do 5º período de psicologia, passou a ganhar peso após sair da adolescência e a partir daí, passou a ter dificuldades para comprar roupas. “A maior dificuldade é o tamanho das roupas nas lojas populares, isso acarretou problemas em relação à imagem, mas acredito na aceitação e sigo tentado diariamente”.
 
“Todos os dias somos bombardeadas com propagandas que tem como protagonistas pessoas que seguem um padrão de beleza muito restrito. A indústria de publicidade precisa ser mais abrangente. Somos um país miscigenado”, destacou Joelma.
 
Ela ainda contou que para se sentir bem com as roupas e ter mais facilidade na hora da compra, adotou estilos diferentes ao longo do tempo. Na adolescência seguia a tendência do rock. Mas por gostar do conforto e da praticidade, logo surgiu o estilo hippie. “Era o que me dava liberdade em relação ao meu corpo. Foi espontâneo. Além de ser um estilo que tem mais haver com minha personalidade”.

Foto: arquivo pessoal

Foto: arquivo pessoal

Berg Dantas, 24 anos, publicitário e youtuber, é outro exemplo de que é possível, sim, romper com as dificuldades da pouca oferta na quantidade de roupas de numeração maior. Mesmo com esforço, ser gordo e estiloso não é uma realidade inalcançável.

“É sempre difícil. Mesmo em lojas de departamento, as peças de tamanho maior chegam em número reduzido e sempre acabam rápido. Fora que as peças mais descoladas como macacões e calças rasgadas nunca cabem ou nem sequer estão disponíveis em tamanhos grandes. Isso também se repete em lojas com preços mais elevados”, comentou.
 
 “É bem chato quando eu gosto de uma peça e ela é tamanho único, por exemplo. Ou quando eu até pensava que caberia, mas provo e vejo que não dá. Pra quem gosta de se vestir bem, é ruim sentir que tem menos opções”, desabafou o youtuber.
 
Mas isso nunca incomodou Berg, para ele “sempre foi importante não se importar tanto com isso”.

“Minha imagem nunca foi um grande problema pra mim”, diz Berg.
 
“Vestir-se bem é possível, nem que pra isso você precise recorrer a uma boa costureira ou a sessão de roupas femininas. Nesse ponto, se desprender de rótulos e preconceitos é o ideal”, destacou.

Foto: arquivo pessoal

Foto: arquivo pessoal


Berg Dantas ainda fala da importância da propagação da autoaceitação e, como profissional da Publicidade, também segue essa linha. “Grandes marcas já entenderam isso e enquanto profissional da área, fico feliz de fazer parte do movimento de alguma forma. A diversidade é real e a moda só reflete isso mais a cada dia”.
 
“Sou super a favor da mudança também, mas só quando ela vem de dentro. Nós quem definimos quem somos e o que queremos mudar ou não”, finalizou.
 
Para conhecer um pouco mais sobre o Berg, entre em seu canal no Youtube neste link.
 
Moda Plus Size
 
STAMPAS 1Em Maceió, a moda Plus Size chegou há alguns anos. Isso mostra o entendimento de que existem pessoas que não querem se adequar ao padrão idealizado e se faz necessária a oferta de lojas que supram essa demanda.
 
Cristina Arrais é dona de uma loja desse segmento, a Stampas Plussize, inaugurada há três anos, voltada para o público feminino. Oferece numerações do 44 ao 62.
 
“Quando iniciamos em Maceió, sentimos um pouco de dificuldade no reconhecimento de que a loja trabalharia com moda moderna e estilosa. As mulheres sempre diziam que só encontravam roupas mais fechadas e ‘assenhoradas’. Mas logo se surpreenderam e logo viram a variedade que é ofertada”, explicou Cristina.

As idades das mulheres que procuram são variadas, a partir de 18 anos.  “Eu particularmente amo trabalhar com esse segmento. Nossa loja é exclusivamente Plus Size, com isso podemos sentir melhor as necessidades de cada uma delas. Cada uma tem sua personalidade, seu gosto e isso faz com que tenhamos que trabalhar com uma variedade gigantesca de estilos”, explicou Cristina.

Na página da loja no Facebook, para divulgar as roupas, são feitas fotos com modelos Plus Size do estado.

Gordos na mídia
 
No Brasil e no mundo, encontramos exemplos de gordos na mídia que batem o pé e marcam espaço, claro, com muito talento. Entre eles, a cantora britânica Adele, as brasileiras Fabiana Karla e Cacau Protásio.
 
Além da MC Carol, que ao lado de outras rappers, contribuiu com sua imagem e personalidade a uma campanha da Avon, intitulada como #OQueTeDefine, que estreou no final de julho deste ano.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados