Dia Mundial do Diabetes: doença aumenta até quatro vezes risco de infarto e AVC, alerta cardiologista

Patologia atinge cerca de 16 milhões de brasileiros e pode ser controlada com a adoção de hábitos de vida saudáveis

Por Assessoria | Edição do dia 16 de novembro de 2020
Categoria: Notícias, Saúde


Uma doença silenciosa, sem cura e que atinge 16 milhões de brasileiros, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O Dia Mundial do Diabetes, celebrado neste sábado (14), chama a atenção para a importância da prevenção da patologia e suas complicações.

O diabetes se caracteriza pelo aumento da glicose no sangue, que pode ser ocasionado pela redução na produção de insulina ou pela resistência à ação dela sobre as células.

De acordo com o cardiologista do Hapvida Maceió, Dr. José da Silva Leitão, pacientes diabéticos possuem o dobro de risco de apresentarem alguma doença cardiovascular, como infarto agudo do miocárdio e derrame cerebral.

“A hiperglicemia não controlada leva a um processo inflamatório e pode ocasionar a formação de placas de gordura e, consequentemente, obstrução de vasos cerebrais. Essas obstruções podem acarretar doenças arteriais periféricas, insuficiência real e até cegueira”, explica o especialista.

CLASSIFICAÇÃO DO DIABETES E CONTROLE DA DOENÇA

Segundo a OMS, o Brasil é o 4º país do mundo em portadores da patologia, que possui duas classificações: diabetes tipo I e diabetes tipo II.

“O diabetes tipo I precisa fazer reposição de insulina e é difícil de ser evitado. Geralmente se manifesta ainda na infância. Já o diabetes tipo II representa a maioria dos casos da doença e normalmente atinge obesos, hipertensos e sedentários”, destaca o cardiologista do Hapvida Maceió.
Apesar de não ter cura, o médico afirma que a doença pode ser controlada com a adoção de hábitos saudáveis.

“Uma vez diagnosticado, o paciente precisa ter uma mudança radical no estilo de vida, e essa mudança começa com a prática de atividades físicas regulares e manutenção de uma dieta balanceada com pouca ingestão de carboidratos”, orienta o especialista.

“É muito importante que as pessoas se cuidem e visitem regularmente o médico. Na maioria dos casos, o diabetes pode ser evitado. Faça a sua parte. A sua saúde agradece”, conclui.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados