Defensoria identifica homem preso ilegalmente por dois anos em Alagoas

A manutenção irregular do cárcere teria acontecido em decorrência da ausência da tarja de “réu preso” no sistema do Judiciário

Defensoria identifica homem preso ilegalmente por dois anos em Alagoas

A manutenção irregular do cárcere teria acontecido em decorrência da ausência da tarja de “réu preso” no sistema do Judiciário

Por Redação* | Edição do dia 12 de maio de 2021
Categoria: Alagoas, Justiça | Tags: ,,,


Defensoria Pública. Foto: Reprodução

Mais de dois anos preso por um crime pelo qual foi condenado a um ano de reclusão, com direito a responder em liberdade. Esta foi a situação constatada pelo defensor público Marcelo Barbosa Arantes, na última sexta-feira (7), ao reanalisar o processo de um assistido, durante etapa do programa Defensoria no Cárcere.

Diante da irregularidade, o defensor público solicitou, imediatamente, liberdade para o assistido junto à Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Alagoas, que a concedeu nesta terça-feira, 11.

De acordo com o Desembargador Washington Luiz, relator do recurso de apelação ainda pendente de julgamento sobre o caso, provavelmente a ausência da tarja “réu preso” no processo teria contribuído para o erro.

O homem, hoje com 29 anos, foi preso em flagrante em abril de 2019, por furto simples, tendo permanecido preso até hoje, pelo mesmo crime. Ele foi sentenciado a um ano de prisão em agosto do ano passado, mas tinha direito a aguardar o julgamento do seu recurso em liberdade.

Segundo o defensor Marcelo Arantes, apesar de o juiz que proferiu a sentença, na cidade de Arapiraca, interior do Estado, ter determinado a expedição de alvará de soltura, tal ordem não foi cumprida pela secretaria da vara onde tramitou o processo. “Além disso, o próprio juiz parece não ter observado que o réu estava preso por ordem sua, tanto que mandou intimá-lo sobre a sentença por edital, que é um expediente meramente formal usado quando as pessoas não são encontradas para serem intimadas. Acontece que o réu estava preso durante todo esse tempo, nada justificando esse tempo de cárcere absolutamente ilegal”, finalizou.

Defensoria no Cárcere

Iniciada em março deste ano, a atual etapa do Programa Defensoria no Cárcere já constatou diversas situações de prisões irregulares, como casos em que o preso respondia a processo pertencente a outra pessoa, cujo nome era semelhante, como também de presos que possuíam alvarás de soltura ou já tinha direito à liberdade, dentre outros.

O programa é uma iniciativa institucional, criada para promover a defesa de direitos das pessoas privadas de liberdade com a reanálise de processos criminais, objetivando combater a superlotação carcerária e fiscalizar as condições de encarceramento.

 

Com: Assessoria

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados