De surtos a pandemias: Hospital Helvio Auto comemora 109 anos de história

De surtos a pandemias: Hospital Helvio Auto comemora 109 anos de história

Por Ascom HEHA | Edição do dia 2 de maio de 2021
Categoria: Notícias, Saúde | Tags:


Neste dia dois de maio, o Hospital Escola Dr. Helvio Auto (HEHA), unidade assistencial da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), comemora 109 anos de existência. Nesta mesma data, em 1912, a instituição foi inaugurada com o nome de Hospital de Isolamento do Estado, primeira instituição pública voltada ao tratamento de doenças infectocontagiosas na capital alagoana, que tinha como missão o atendimento de doentes de todo Estado de Alagoas.

O hospital foi construído durante o governo do Coronel Macário Lessa, tendo como primeiro diretor o dr. Hebreliano Maurício Wanderley. Construído no Trapiche da Barra, na época ainda um povoado distante três quilômetros do Centro de Maceió, o hospital era responsável pelo recebimento e tratamento das principais doenças infectocontagiosas e parasitárias do início do século XX.

Século XX

Em 1918, o mundo se encontrava em situação parecida com a que vivemos atualmente. Uma pandemia se expandiu pelo mundo logo após o final da 1ª Guerra Mundial. A gripe espanhola, apesar dos poucos registros históricos, fez muitas vítimas em Alagoas, assim como a varíola, mesmo com menos casos em relação a estados vizinhos como Pernambuco e Bahia, teve seus doentes enviados para o então Hospital de Isolamento.

Nas décadas de 1920 a 1970, o Hospital de isolamento, já com o nome de Hospital Constança de Goís Monteiro, modificado na década de 1940, no governo de Silvestre Péricles de Goís Monteiro, que alterou o nome do hospital em homenagem à sua mãe, a instituição recebeu e tratou pacientes de diversos surtos e epidemias como tuberculose, hanseníase (conhecida como lepra), febre tifoide, malária, varicela e casos graves de sarampo, que na primeira metade do século passado eram chamados de sarampão.

Em 1973, o Brasil enfrentou uma epidemia de meningite que viria a revolucionar a história da vacinação no país. A meningite meningocócica atingiu Alagoas e teve seu pico em 1974. Segundo o médico infectologista José Maria Constant, diretor do Hospital Helvio Auto à época, os níveis de letalidade em Alagoas não foram maiores que os dos grandes centros desenvolvidos do país, tendo o tratamento dispensado pelo HEHA tendo surtido o efeito para as necessidades da situação.

Em 1975, quase em seguida à epidemia de meningite, tivemos em Alagoas uma epidemia de poliomielite (paralisia infantil), onde o Hospital Helvio Auto, recebeu inúmeras crianças acometidas por esse mal, uma vez que na época o Brasil ainda não apresentava tamanha força no então recém-criado Programa Nacional de Imunização (PNI), que incorporou o controle da poliomielite e introduziu a multivacinação em estratégias de campanhas anuais.

A década de 1980 foi marcada pelo surgimento da pandemia de AIDS. Em 1986, o Hospital Escola Dr. Helvio Auto recebeu o primeiro paciente com HIV/AIDS em Alagoas, numa época em que médicos e equipe multidisciplinar ainda faziam o manejo de pacientes de HIV/AIDS de forma experimental com opções medicamentosas ainda muito incipientes.

Nos anos 1990, nosso estado e todo o território nacional foram marcados pela epidemia de cólera. Exatamente em 1992, o HEHA montou um espaço para atendimento intensivo baseado na hidratação ininterrupta aos pacientes debilitados pela infecção.

Século XXI

Na primeira década dos anos 2000, o Hospital Helvio Auto acompanhou uma sucessão de surtos de doenças decorrentes da transmissão do mosquito aedes aegypt, consideradas endemias, como a dengue.

Por volta de 2014, os primeiros casos de chikungunya começaram a aparecer em Alagoas. Sem trégua, ao longo de 2016, o Zika vírus começou a atingir alagoanos, tendo um diagnóstico diferencial complicado, pela semelhança entre os sintomas, além de deixar sequelas em bebês, quando atingia as mães no período de gestação.  A equipe do HEHA liderou algumas pesquisas de relevância nacional em relação ao zika vírus e suas sequelas na população.

Em termos de doenças respiratórias, após 2010, alguns tipos de influenza começaram a afetar a população alagoana. O Hospital Helvio Auto recebeu os primeiros casos de influenza A H1N1, considerada a primeira pandemia do século XXI. Acompanhamos ainda o aumento de casos de tuberculose e o reaparecimento do sarampo no Brasil, doença que já estava erradicada no território nacional.

Atualmente, juntamente com outros hospitais de Alagoas, enfrentamos a pandemia de Covid-19, atendendo pacientes de Covid com comorbidades infectocontagiosas. Pouco mais de um ano após o início da pandemia, vemos o Brasil ultrapassar a trágica marca de 400.000 mortes.

Ao longo de 109 anos o Hospital Helvio Auto acompanha as alterações virais e biológicas das patologias do nosso tempo, sempre procurando oferecer o melhor em atendimento especializado, dentro do Sistema Único de Saúde (SUS).

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados