Daniel Dias leva ouro nos 50m costas e aumenta coleção para 22 medalhas

Daniel Dias leva ouro nos 50m costas e aumenta coleção para 22 medalhas

Por | Edição do dia 17 de setembro de 2016
Categoria: Esportes, Outros Esportes | Tags: ,,,,


Mais uma noite de coroação para o principal nome da natação paralímpica brasileira. O Estádio Aquático, no Parque Olímpico da Barra, foi palco de mais um espetáculo de Daniel Dias nesta sexta-feira (16). Empurrado pela torcida, o brasileiro conquistou o tricampeonato paralímpico nos 50m costas S5 e aumentou a sua coleção de medalhas, ampliando para 22 em Jogos, das quais sete foram conquistadas no Rio de Janeiro: três ouros, três pratas e um bronze.

Daniel Dias está a um pódio de igualar o australiano Matthew Cowdrey, maior vencedor da história da natação Paralímpica, com 23 medalhas. O brasileiro entra mais duas vezes na piscina nos Jogos Rio 2016. Neste sábado (17.09), último dia de provas, ele disputa os 100m livre S5 e pode fazer parte do revezamento 4 x 100m medley 34 pontos. Se subir ao pódio nas duas oportunidades, ele se tornará o maior medalhista da história da natação paralímpica.

Atual recordista mundial da prova, com 34s95, Daniel Dias conquistou o tricampeonato nos 50m costas S5 com o tempo de 35s40. A prata ficou com o britânico Andrew Mullen, com 37s94, e o bronze com o húngaro Zsolt Vereczkei, com 38s92. “Sou campeão dessa prova nos três ciclos (Pequim, Londres e Rio). É algo incrível e que vai marcar para sempre a minha carreira, ainda mais depois de toda essa torcida”, disse Daniel.

No momento da largada, um torcedor gritou na arquibancada e desconcentrou os atletas. “Acredito que tenha atrapalhado todos nós. Afinal, naquele momento nós estávamos 100% concentrados na prova e depois tivemos que voltar para o foco novamente. Pelo que fiz no aquecimento, acredito que dava para o meu tempo chegar próximo ao meu recorde mundial”, disse Daniel Dias.

Finais do dia

Ronystony Cordeiro foi o primeiro brasileiro a entrar na piscina. Ele terminou a prova dos 50m costas S4 em sétimo, com o tempo de 50s84. A prova foi vencida por Arnost Petracek, da República Tcheca, com 43s12. O segundo lugar ficou com o chinês Yuntao Liu, em 45s01 e o terceiro com o mexicano Hernandez Jesus, com 45s30.

“Disputar uma final paralímpica não é para qualquer um. É gostoso encarar os Jogos em casa. A prova não foi o que eu esperava. Não consegui fazer o meu melhor, entrei com muita adrenalina e terminei abaixo do esperado”, analisou Ronystony.

O nadador volta a competir novamente neste sábado (17.09). Ele vai encarar os 50m livre, prova sem baterias classificatórias, com os atletas avançando direto para a final. “É gratificante participar de um evento tão grandioso como esse, disputar em casa, ter essa torcida. Não tem quem não se emocione. Entrei hoje com o coração na boca, fé e força nos braços para fazer o melhor”, completou o atleta.

Na prova feminina dos 50m S4, Edenia Garcia terminou na sétima colocação, com 55s50. A prova teve dobradinha chinesa, com Jiao Cheng, 48s11, e Yue Deng, com 50s01. A atleta Maryana Verbova, da Ucrânia, completou o pódio, em 52s28.

Nos 100m livre S13, Carlos Farrenberg ficou na quinta colocação, com 53s81. O título paralímpico da prova ficou com o bielorrusso Ihar Boki, com 50s90. Os atletas da Ucrânia Iaroslav Danysenko e Maksym Veraksa levaram a prata e o bronze, respectivamente (52s40 e 52s77).

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados